Gestação

Botões e etiquetas podem incomodar o bebê: atenção ao comprar o enxoval

Getty Images
Na hora de comprar, não se deixe só seduzir pela beleza das roupinhas de bebê imagem: Getty Images

Por Maria Laura Albuquerque

Do UOL, em São Paulo

Ao entrar em uma loja para comprar macacão, body e outras roupas para o guarda-roupa das crianças, é prudente ficar de olho no tamanho das peças e na variedade de modelos. Mas só isso não basta para organizar o enxoval. Nem sempre beleza e qualidade, conforto e segurança andam juntos. Conheça alguns detalhes que valem a pena ser levados em consideração.

1 – Tipo de tecido

Dê preferência a peças confeccionadas com malha de algodão, leve e macia, que podem ainda conter elastano, para conferir flexibilidade à roupa. O moletom é outra boa ideia porque, de acordo com Carine Martins, da equipe de criação da grife infantil Zig Zig Zaa, dificilmente, acumula ácaros entre as fibras, impedindo o desenvolvimento de alergias nas crianças.

“Também recomendamos o plush light, que garante o conforto térmico e é praticamente à prova de manchas”, fala Carine. Ele é, inclusive, uma boa alternativa às lãs –no entanto, as famílias que não dispensam peças de tricô devem escolher as que têm golas de outro material.

2 – Conforto

Se os pais gostarem do estilo conferido pelo jeans, é interessante apostar em versões leves e de toque macio. Keiko Savaki, estilista da marca infantil Green, também sugere investir na opção com elastano, para agregar conforto à peça. Outra dica que ela dá é checar se o elástico é bem molinho, para não apertar a cintura da criança.

3 – Praticidade

O body, peça tão presente no guarda-roupa dos bebês, deve ser prático de vestir –quanto mais aberturas tiver, melhor (na região dos ombros, na lateral do tronco, entre as pernas…)– e extremamente macio, com o mínimo de costuras possível, afinal, é ele que fica em contato direto com a pele da criança a maior parte do tempo.
Na hora da compra, se surgirem dúvidas sobre a roupa provocar alergias, a estilista da Green sugere que o comprador esfregue-a com delicadeza na pele do próprio antebraço, para sentir qual é o toque conferido por ela. Se pinicar ou ficar na dúvida, não compre.

4 – Botões

Prefira peças com botões às que têm zíperes. Eles podem irritar a pele dos bebês por causa do contato e até beliscar o corpo na hora do fechamento. “Os zíperes são mais adequados às crianças maiores e, ainda assim, devem ser encapados no interior da roupa para não provocar incômodos”, fala Mira Schiller, diretora de estilo da grife infantil Tyrol.

Ainda é importante evitar botões com caseados, que podem descosturar e cair, aumentando o risco de serem engolidos pelas crianças. Por isso, os de pressão são mais interessantes.

Ainda falando de detalhes, Keiko recomenda evitar a compra de agasalhos com cordões que tenham ponteiras nas extremidades. “Os bebês podem levá-los à boca facilmente”, diz.

5 – Fechamento entre as pernas

Apesar de no Brasil a maioria das grifes produz macacão com abertura frontal, vale garimpar os que têm botões entre as pernas. “Eles facilitam o momento da troca de fraldas porque dispensam despir o corpo do bebê. Basta desabotoar somente a região das pernas”, diz Mira.

Observe também se, na região do pescoço e ombros, há aberturas: elas tornam o momento de vestir a criança menos complicado e mais rápido.

6 – Etiquetas

Repare no tamanho das etiquetas, itens obrigatórios para informar composição, tamanho e outros dados da peça e do fabricante, mas que irritam a maioria das crianças. Pode ser necessário cortá-las. Se for, faça o trabalho com cuidado para não prejudicar a costura. Algumas marcas estampam as informações na peça, evitando assim a remoção.

7 – Punhos

Para o período de baixas temperaturas, peças com punho nas mangas e pernas são mais interessantes para proteger os bebês, pois evitam que a roupa saia do lugar. Já para os dias mais quentes, eles podem ser dispensados.

8 – Com pés

Macacões e bodies com pezinho ajudam a proteger do frio, mas, à medida que a criança cresce, fazem com que a peça seja perdida mais facilmente. Uma estratégia é cortar as pontas, mas é bem mais prático comprar roupas com pés reversíveis. Há modelos que, além deles, possuem luvas com a mesma característica.

9 – Vestidos

Para quem não abre mão de vestidos para meninas –nem mesmo no inverno– Mira sugere escolher os que têm um macacão por baixo, o que evita que, ao ser carregada no colo, a criança tenha a peça constantemente deslocada.

Topo