Infância

Criança tem de usar produtos de higiene específicos até os 12 anos

Getty Images
Produtos inadequados podem causar irritações na pele e reações alérgicas imagem: Getty Images

Fernanda Carpegiani

Do UOL, em São Paulo

Sua filha quer passar esmalte nas unhas e seu filho adora pentear o cabelo com gel. Mas será que tudo bem usar esses produtos em crianças? Se forem específicos para a faixa etária e aprovados pela Anvisa (Associação Nacional de Vigilância Sanitária), a resposta é sim.

Segundo a Gerência Geral de Cosméticos da Anvisa, por serem destinados a um público mais sensível, os cosméticos infantis apresentam limites de segurança mais rigorosos. Os esmaltes de uso infantil, por exemplo, não podem conter solventes considerados irritantes. Outro ponto são as advertências de rotulagem, que orientam os pais quanto à aplicação dos cosméticos em crianças.

As recomendações também valem para produtos de higiene, como sabonetes e xampus. Vale lembrar que não é necessário passar hidratantes em bebês e crianças, a não ser em casos de ressecamento extremo da pele ou doenças como dermatite. O perfume é outro item que, além de ser dispensável, tem grandes chances de causar irritação na pele.

Sempre que for usar um produto em seu filho, é importante ler atentamente o rótulo para garantir que não há substâncias tóxicas ou nocivas à saúde. “Até os dois anos, a barreira da pele ainda não está perfeitamente desenvolvida, o que faz com que as crianças absorvam mais os produtos do que deveriam”, afirma a dermatologista Selma Helene, membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

O segredo é usar produtos menos agressivos, com ingredientes sabidamente seguros para a criançada. “Tudo o que é feito para crianças é mais solúvel em água, tem pouca gordura e uma quantidade mínima de conservantes, para não irritar a pele sensível delas”, afirma a dermatologista Suzy Rabello, do Hospital Bandeirantes, em São Paulo. Além dos conservantes, há outros componentes que oferecem riscos, como fragrâncias, corantes e óleos minerais.

Não existe uma idade certa para começar a usar produtos para adultos, mas a recomendação é permanecer com os infantis até os 12 anos. Até os cinco são os pais que devem aplicar os produtos, daí em diante a criança pode usar sozinha, mas com supervisão. Maquiagem de boneca, tatuagens de hena e cosméticos para adultos ou sem o selo da Anvisa não devem ser usados em crianças.

As reações mais comuns a produtos inadequados são irritações na pele, que se manifestam por meio de manchas vermelhas, bolhas, descamações, lesões e coceiras. Outro perigo é o que os especialistas chamam de absorção sistêmica, que afeta o organismo e causa reações alérgicas tanto imediatas e passageiras quanto futuras e permanentes.

Topo