Adolescência

Adolescente dorme pouco e mal; pesquisa aponta celular como vilão

Getty Images
Segundo pesquisa, a tecnologia, principalmente o celular, prejudica o sono do jovem imagem: Getty Images

Fernanda Carpegiani

Do UOL, em São Paulo

Dormir bem tem sido um problema para os jovens brasileiros. Diante de uma rotina agitada e superconectada, eles têm poucas horas de sono por noite durante a semana, acordam cansados e ficam sonolentos durante o dia. Foi o que mostrou um levantamento do Ipom (Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente) e do Instituto Sou +Jovem, feito com 1.830 adolescentes, de 14 a 18 anos. Entre os entrevistados, 88% avaliaram seu sono como ruim ou insatisfatório.

Um dos grandes vilões é o celular, que 82% dos entrevistados deixa ligado ao lado da cama durante a noite. "O cérebro trabalha muito enquanto estamos dormindo. Cada vez que o aparelho toca, ele para tudo o que está fazendo. A luz da tela também atrapalha, porque retarda o hormônio do sono", afirma a psicoterapeuta Myriam Durante, presidente do Ipom.

Outro problema é a falta de rotina do sono. "Há uma grande tendência em negligenciar o sono por causa de estudo, trabalho e atividades sociais, o que gera horários irregulares e redução das horas dormidas", afirma o pneumologista Pedro Genta, do Centro de Medicina do Sono do Hcor (Hospital do Coração), em São Paulo. Nessa fase, os pais têm menos interferência na rotina dos filhos, que acabam ficando acordados até muito tarde, mesmo tendo de acordar cedo no dia seguinte.

Estudo do Instituto do Sono da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), feito entre 2013 e 2014, avaliou 600 adolescentes, de 12 a 18 anos, e constatou que 39% apresentavam uma diferença de duas horas entre o tempo de sono da semana e do final de semana. "Quando esse débito ultrapassa uma hora já é considerado disfunção. Observamos um grau elevado de sonolência nesses adolescentes, que vai aumentando com a idade", diz o pediatra Gustavo Moreira, responsável pela pesquisa.

Além de repor as energias, dormir ajuda a consolidar a memória e tem um papel importante no desenvolvimento, já que o hormônio de crescimento trabalha durante o sono. "Dormir pouco altera as funções cerebrais, afeta o humor e o rendimento do adolescente durante o dia, além de aumentar o apetite, porque o organismo entende que está em situação de estresse", afirma o especialista.

Como ajudar seu filho

Rotina
Converse sobre a importância de dormir no mesmo horário sempre que possível e monitore essa rotina, verificando se ele está dormindo ou se continua acordado mexendo no celular e no computador.

Duração
A Fundação Nacional de Sono dos Estados Unidos recomenda que os jovens durmam de oito a dez horas por noite.

Ambiente
O quarto deve ficar totalmente escuro na hora de dormir, sem a presença de aparelhos eletrônicos. Se o celular for usado como despertador, deve ser deixado no modo "avião" (para não receber chamadas, mensagens ou sinais de atualizações de redes sociais, por exemplo). Mas o melhor é que ele fique fora do local de descanso. A temperatura deve estar agradável.

Preparo
Uma hora antes de dormir, é recomendado fazer atividades mais tranquilas e evitar luz artificial, especialmente de telas, e o consumo de alimentos estimulantes, como cafeína, refrigerante e pimenta.

Topo