Gestação

Estudo aponta que impacto da obesidade na fertilidade é reversível

Getty Images
Cientistas descobriram como retroceder o estresse causado pela obesidade imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

Pesquisadores da Universidade de Adelaide, na Austrália, descobriram como os danos causados pela obesidade são transmitidos da mãe para os filhos. A boa notícia é que os cientistas também encontraram uma maneira de revertê-los.

Os resultados do estudo, publicado na revista britânica "Development", poderão contribuir para restaurar a fertilidade de mulheres obesas, bem como evitar que as futuras gerações sejam afetadas pelos problemas que o excesso de peso provoca nas células.

Além de ter problemas de fertilidade graves, as mulheres obesas também podem gerar bebês com crescimento alterado e metabolismo afetado pelo excesso de peso. 

De acordo com Rebecca Robker, autora do estudo e professora do Instituto de Pesquisa Robinson, os estudos realizados no laboratório foram capazes de desvendar um mecanismo-chave que faz com que esses danos passem de geração para geração. Os cientistas também encontraram uma maneira de impedir que isso aconteça.

Os pesquisadores descobriram que a obesidade provoca um determinado tipo de estresse que causa danos para a mitocôndria. As mitocôndrias são organelas que possuem uma dupla membrana de composição semelhante à membrana plasmática e são responsáveis pela respiração celular. 

Todas as mitocôndrias do nosso corpo vêm de nossa mãe, portanto, se a mãe é obesa, os filhos recebem uma quantidade de mitocôndrias reduzida. Além disso, os óvulos dessas mães também carregam fetos mais pesados do que o normal e com quantidades reduzidas de DNA mitocondrial e outros danos.

Segundo Robker, uma vez que o tipo de estresse envolvido foi identificado, os cientistas utilizaram compostos conhecidos para aliviar o estresse nas células. Esses compostos, que também são usados no tratamento do diabetes, foram eficazes na prevenção da resposta ao estresse, parando a transmissão dos danos da obesidade para os filhos. Eles restauraram a qualidade dos óvulos, o desenvolvimento do embrião e do DNA mitocondrial com níveis equivalentes aos de uma mãe saudável, o que fez com que o problema fosse completamente revertido. 

Robker diz que os resultados desse estudo podem ser primordiais para a criação de uma terapia capaz de restaurar a fertilidade em mulheres obesas, além de evitar passar os danos causados pelo excesso de peso para as futuras gerações.

Topo