Bebês

Chupeta decorada com strass pode colocar bebê em risco

Getty Images
As pedras que decoram a chupeta podem se soltar e serem engolidas pela criança imagem: Getty Images

Jéssica Nascimento

Do UOL, em Brasília

A moda de chupetas decoradas com pedras como strass e pérolas falsas tem despertado a preocupação de médicos e entidades, como a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) e a ONG Criança Segura.

"Já atendi casos em que a mãe procurou o pronto-socorro porque o bebê engoliu pedras que soltaram da chupeta. Também tenho relato de outra que um strass entrou no olho da criança”, afirma Vânia Gato, pediatra e neonatologista pela Santa Casa de São Paulo e criadora do perfil “S.O.S Pediatra” no Facebook e no Instagram.

Além de a decoração se soltar, outro risco que o acessório oferece é em função da cola utilizada para fixar as pedras. A substância é tóxica e pode acabar sendo ingerida ou inalada.

“Como alguns artesãos recomendam que a chupeta não seja submetida a elevadas temperaturas pelo risco de as pedras soltarem, a esterilização do produto acaba afetada”, fala Vânia, alertando que o acessório pode acumular sujeira.

Veja medidas que tornam a casa segura para crianças. As dicas estão divididas por ambientes

Confira

Para a pediatra Carmen Lúcia Leal, do Departamento de Aleitamento Materno da SBP, as chupetas personalizadas oferecem inúmeros riscos e não devem ser usadas. “Tenho motivos suficientes para ser contra o uso. Vamos ter bom senso e deixar o modismo de lado", sugere a médica.

Segundo o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), as chupetas comuns são regulamentadas pela autarquia em conjunto com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e, portanto, devem atender a requisitos técnicos e procedimentos de avaliação de conformidade para serem colocadas à venda no mercado. Ao ganharem uma decoração, o item passa a ser considerado um outro produto e deveria ser submetido a uma nova avaliação, o que não acontece.

Atualmente, o órgão estuda medidas para o controle do problema, como a determinação da proibição da personalização de produtos de uso infantil, especialmente aqueles que são levados à boca, como as já citadas chupetas e, também, mamadeiras.

“O certo é não usar. Quem, ainda assim, opta por utilizar, deve supervisionar a criança sempre. Existem muitos modelos diferentes no mercado, com certificação de segurança. Chupetas com pedras são perigosas, independentemente de serem caras ou não”, fala a pediatra Vânia Gato sobre o modelo que custa, em média, R$ 140.

A ONG Criança Segura, organização que tem como missão promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos, também desaconselha o uso da chupeta decorada.

A assistente contábil Keyla Regina, 33 anos, comprou uma chupeta dessas por R$ 50 para a filha Lohanna, de dois anos. O produto era cravejado de strass, incluindo o prendedor para colocar na roupa. Com apenas uma semana de uso, as pedrinhas começaram a se soltar.

Arquivo Pessoal
Depois de pedras soltarem, Keyla não deixou mais a filha usar a chupeta imagem: Arquivo Pessoal

“A chupeta não é confiável. Após as higienizações, percebia que o strass ia se soltando. Um dia, a Lohanna puxou o prendedor e voaram pedrinhas para todos os lugares. Um perigo enorme", relata.

A estudante de fisioterapia Beatriz Rangel, 22, mãe de Julya, de dois meses, conta que a menina tem três chupetas personalizadas e nunca teve nenhum problema com os produtos. "Optei por elas serem mais bonitas do que as convencionais. Sempre estou observando quando a Julya está com a chupeta na boca. Tem de ter muito cuidado. De vez em quando, mexo para ver se alguma pérola está solta, mas nunca aconteceu nada".

Topo