Infância

Com mãe doente, menina de oito anos assume as tarefas de casa

Reprodução/Carers Trust
Para se divertir e relaxar, Lili participa de um clube para jovens cuidadores imagem: Reprodução/Carers Trust

Do UOL, em São Paulo


Lili Kirtin-Grossman, 8 anos, de Barnet, no norte de Londres, tem uma rotina puxada para uma menina da sua idade. De acordo com o jornal britânico "The Mirror", ela é uma das cuidadoras mais novas do Reino Unido e, todo dia pela manhã, precisa ajudar a vestir os dois irmãos mais novos, de dois e três anos, e a mãe, Sarah, além de preparar o café para a família.

A garota acumula todas essas tarefas por causa do estado de saúde da mãe. A ex-dançarina Sarah, 37, sofre de escoliose, uma doença em que a coluna vertebral se curva, o que faz com que ela sinta muitas dores e dificuldade para andar. A mulher, que é separada do pai dos filhos, também tem transtorno bipolar.

"Sempre faço várias coisas para ajudar minha mãe. Ela me acorda de manhã, por volta das 7h, e, apesar de sempre estar um pouco cansada, eu me visto e tiro minha irmã Kaya do berço, pois dividimos o mesmo quarto", contou Lili ao "The Mirror".

Além de preparar o café da manhã da família, algumas vezes, a garota precisa ajudar a mãe a tomar banho. Dependendo de como Sarah está se sentindo, ela se veste sozinha, mas Lili sempre auxilia com a parte mais difícil, como colocar as meias e os sapatos.

De acordo com a organização Carers Trust (cuidadores de confiança, em tradução livre do inglês), a história de Lili é comum. No Reino Unido, pelo menos, 180 mil jovens abaixo de 18 anos são cuidadores de suas famílias, seja por motivos de doença da mãe ou dos irmãos.

A ONG ainda alerta que muitos deles não conversam sobre o que acontece em casa e acabam lidando com o pesado dia a dia sozinhos. Cerca de 39% dos jovens e crianças não revelam aos professores que estão cuidando de alguém.

A escola se torna um refúgio para Lili, pois lá ela pode voltar a ser criança. Depois que o sinal toca, a garota retorna para sua rotina de preparar pratos para a família, como espaguete à bolonhesa, tortas e purê. Ela também é responsável por outras tarefas, como aspirar a casa, lavar a louça e as roupas, o que faz com que Sarah se sinta culpada diariamente.

"Lili faz muita coisa por mim e pelos irmãos. Era eu quem deveria estar cuidando dela, e não o contrário. Ela sempre foi muito madura, mas me preocupo que um dia fique ressentida comigo. Pergunto se ela gostaria de ser como os amigos, mas ela sempre diz que sou a mãe dela e que não tem motivo para querer outra coisa", declarou Sarah ao "The Mirror".

Clube de cuidadores

Para dar uma injeção de ânimo na vida de Lili, Sarah faz questão de que ela tenha apoio de orientadores e participe de um clube apenas para jovens cuidadores em situações semelhantes à da menina.

Mas a garota não considera que está perdendo a infância por ajudar em casa. "A única vez que sinto inveja de meus amigos é quando estamos brincando e a mãe deles aparece com comidinhas para a gente. Queria poder levar amigos para casa, mas é difícil para minha mãe receber outras pessoas", disse ao jornal britânico. Lili ainda afirmou que gosta de ajudar a mãe, mas que, se pudesse fazer um único pedido, gostaria que ela se curasse.

Topo