Últimas de Estilo de vida

Grávida, musa fitness Bella Falconi mantém malhação sem medo

Reprodução/Instagram
Com 24 semanas, Bella Falconi engordou até o momento oito quilos imagem: Reprodução/Instagram

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

 

Acostumada com treino intenso e dieta restrita, a musa fitness Bella Falconi exibe uma nova rotina para seus 1,4 milhão de fãs no Instagram (rede de compartilhamento de fotos) desde o início da gravidez. A mãe de Vicky –apelido da filha, que se chamará Victoria— permanece com bons hábitos, mas sem exageros. Com 24 semanas de gestação e oito quilos a mais, totalizando 63 kg, a modelo mantém uma alimentação saudável aliada à malhação, sem medo.

Para manter o físico bem definido, Bella mantinha baixo percentual de gordura corporal. Enquanto a média das mulheres é entre 17% e 20%, ela tinha apenas 9% —o que influenciava em seu ciclo hormonal. "Não ficava um ano sem menstruar, mas tinha intervalos de meses, entre um ciclo e outro."

Quando colocou o pé no freio da dieta radical, antes de se casar, em novembro de 2014, ela voltou a menstruar, normalmente, e engravidou logo na primeira tentativa. "Quando engravidei, meu percentual de gordura estava 10%, o que ainda era baixo para uma gestação, portanto, minha preocupação, no início, foi subir esse número. Logo no primeiro mês, consegui passar para 13%", afirma.

Depois que descobriu que estava grávida, a ginecologista de Bella não só indicou que ela continuasse com as atividades físicas, como também proibiu que ela suspendesse a prática. "Ela explicou que, se eu parasse, seria um choque grande para o meu corpo, e também reiterou que os exercícios físicos são saudáveis para a mãe e para o bebê."

A médica, no entanto, vetou exercícios de calistenia (modalidade que combina abdominais e flexões de braço na barra) e esportes de contato, devido ao risco de queda e trauma.

Segundo o ginecologista e obstetra Antonio Paulo Stockler, especialista pela Febrasgo (Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia), as grávidas também devem evitar atividades como andar a cavalo, jogar futebol e fazer escalada, que também podem ser arriscadas. "A gestante deve buscar um obstetra para avaliar quais atividades físicas são as mais adequadas. A prática de exercício físico vai ajudar no bem-estar, pois as grávidas ficam muito sonolentas, cansadas e indispostas", afirma Stockler.

Atualmente, Bella Falconi segue um programa que mescla treinamento funcional (atividades que usam o próprio peso do corpo) com exercícios nos aparelhos de musculação. "Os pesos diminuíram, dou intervalos maiores entre cada série, e presto atenção nos sinais do meu corpo. Se estou com mais fadiga do que o normal ou sentindo alguma tontura, é sinal de que devo parar de treinar naquele dia", fala.

O personal trainer especializado em gestantes que acompanha a modelo em Orlando, nos Estados Unidos, onde ela vive, adaptou o treino de Bella, tirando exercícios em que ela ficaria deitada de costas no chão, abdominais simples e movimentos que exigissem equilíbrio, pois o centro de gravidade muda com o crescimento da barriga. Apesar disso, ela segue treinando cinco vezes por semana.

"As atividades que deixam a gestante deitada fazem com que o útero comprima a veia cava, o que pode fazer com que ela sinta algum mal-estar", explica o especialista pela Febrasgo. Já os abdominais devem ser retirados do treino, de acordo com Eduardo Cordioli, membro da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo), para não aumentar a pressão intra-abdominal.

Mas Bella segue fazendo exercícios para quadríceps, bíceps, tríceps, costas e ombros. "É importante que ela permaneça trabalhando esses grupamentos musculares, para preparar o corpo para o aumento de peso da gestação. Como o objetivo não é manter o corpo sarado, a musculação ajuda a manter o tônus muscular e a diminuir dores articulares e o desconforto", afirma Stockler.

Outro cuidado da musa fitness durante os treinos é se manter hidratada. "A recomendação é a que gestante faça atividade física acompanhada de um profissional da área de educação física, pois ele vai ajudar a mantê-la hidratada e com a temperatura corporal adequada durante a prática", afirma o membro da Sogesp.

Stockler também indica que a gestante monitore a frequência cardíaca durante as atividades. "Com um frequencímetro (tipo de aparelho), fica fácil controlar e manter a frequência entre 75% e 80%. Mas as grávidas também devem ficar atentas a alguns sinais do corpo, como falta de ar, enjoo, dor de cabeça súbita e sangramento", afirma.

Outras atividades benéficas

Além da musculação, outros exercícios físicos estão liberados para as gestantes saudáveis. Um deles é a hidroginástica. "Não há risco de queda nem lesão. A resistência da água protege as articulações", diz Stockler. O ginecologista e obstetra acrescenta ainda que a atividade também reforça o tônus muscular.

O pilates também é indicado por trabalhar todos os grupamentos musculares importantes para a gravidez. "A atividade fortalece as costas e o assoalho pélvico, que ajudam a dar apoio ao peso extra da gestação, além de contribuir para a recuperação do períneo (área entre a vagina e o ânus) após o parto normal", fala o especialista pela Febrasgo.

Mas para quem ainda não tem o hábito de praticar atividade física, Cordioli indica iniciar atividades mais leves e moderadas. "No início, podem ser apenas 30 minutos, de quatro a cinco vezes por semana", afirma.

Calorias necessárias

As mães devem ficar atentas também à alimentação, pois devem consumir calorias necessárias para sustentar a prática de atividade física. "Estou comendo mais para ter certeza de que não vou emagrecer por causa do treino, pois isso pode prejudicar a gestação", afirma Bella.

A musa fitness conta que está se alimentando com equilíbrio, mas confessa que tem comido mais doces e pães. "Senti poucos desejos de grávida. Fiquei com vontade de comer mexerica, misto quente e feijão, mas não estou sentindo muita fome, tenho me forçado a comer", afirma. No cardápio do dia a dia, ela opta por vegetais, proteínas, além de frutas, castanhas e grãos integrais.

No início da gestação, a musa fitness estava com aversão à peixe e a frango e não estava ingerindo a quantidade de proteína necessária, portanto, o nutricionista que a acompanha recomendou que ela tomasse meia dose de "whey protein" (suplemento de proteína usado por frequentadores de academia, que ajuda na recuperação muscular e no aumento de massa magra). "Parei com toda a suplementação que fazia antes de engravidar. Só mantive essa pequena dose de 'whey' até a quantidade de proteína estar regulada", diz.

Segundo Stockler, as gestantes só podem consumir esse tipo de produto com indicação médica. "A alimentação da grávida deve ser rica em proteína para a formação do feto. Não há erro em suplementar, mas é preciso ser feito com supervisão profissional e sempre com um produto de qualidade para evitar contaminações ou adições de outras substâncias que não sejam indicadas para as gestantes", afirma.

Ansiosa para a chegada da filha, a musa fitness está montando o enxoval e pretende que Vicky venha ao mundo de parto normal. "Não quero ter de induzir nada. Espero ter dilatação naturalmente e que ela esteja encaixada quando chegar a hora. Está nas mãos de Deus", afirma.

Topo