Últimas de Estilo de vida

Menino é primeiro bebê dos quíntuplos a mamar na mãe

Junior Lago/UOL
Quíntuplos na UTI neonatal pediátrica do hospital Sepaco, na zona sul de São Paulo imagem: Junior Lago/UOL

Do UOL, em São Paulo

 

Karina Bárbara Barreira e João Biagi Júnior, os pais dos quíntuplos, têm mais um motivo para comemorar: Arthur, o primeiro bebê a nascer, está mamando no peito da mãe, o que é uma conquista para a criança, que nasceu de 27 semanas.

Segundo Lúcio Flávio Peixoto de Lima, pediatra e coordenador da UTI Neopediátrica do Hospital Sepaco, em São Paulo, o bebê estava fazendo a sucção não nutritiva,  espécie de treinamento no qual um fonoaudiólogo usa o próprio dedo para ensinar a criança a sugar. Entre as meninas dos quíntuplos, Melissa, Laís e Gabriela também começaram a treinar esse tipo de sucção, mas Giulia ainda não está em condições clínicas para tanto.

"Quando o bebê prematuro nasce abaixo de 32 semanas, como é o caso dos quíntuplos, ele não tem reflexo e senso de deglutição desenvolvidos, portanto, leva um tempo para que ele amadureça e consiga mamar por boca", declara Lima.

O processo é gradativo e depende da condição clínica dos bebês. Depois de preparar a criança para sugar, o próximo passo é a sucção nutritiva, momento em que Arthur se encontra. "No começo, são cinco minutos, uma quantidade pequena (de leite) para se adaptar. Posteriormente, o tempo vai aumentando até que ele mame a quantidade de leite suficiente para ganhar peso e não necessite mais de sonda", afirma o pediatra.

Arthur deve ser o primeiro dos quíntuplos a ter alta. Atualmente, ele pesa 1.855 gramas. "Ele só poderá sair do hospital quando estiver com a dieta exclusivamente por boca, ganhando peso e respirando em ar ambiente normalmente", fala o coordenador da UTI Neopediátrica do Hospital Sepaco.

As irmãs Melissa, Laís, Giulia e Gabriela pesam, respectivamente, 1.485 gramas, 1.470 gramas, 955 gramas e 1.260 gramas.

Além de mamar nopeito, o garoto também iniciou o método canguru com Karina, que consiste em manter o bebê preso, na posição vertical, contra o peito da mãe por, pelo menos, uma hora diária.

De acordo com Emanuele Marinho Figueira, médica da UTI Neo Pediátrica do hospital Sepaco, alguns dos inúmeros benefícios do método são aumento do vínculo, melhora na qualidade do desenvolvimento neurocomportamental, estimulação do aleitamento materno, redução do estresse e contribuição para redução do risco de infecção hospitalar.

Evento beneficente

Neste domingo (24), a comunidade Vital Brasil, de Santos, irá organizar uma festa beneficente para ajudar os quíntuplos.

O objetivo da ação solidária é que a população traga uma lata de leite em pó ou um pacote de lenço umedecido, que serão revertidos para a família de Karina e João.

O evento será realizado na sede da comunidade, que fica na rua Dr. Vital Brasil, Vila Belmiro, em Santos.

Topo