Últimas de Estilo de vida

Amamentar reduz risco de reincidência de câncer de mama, diz estudo

Getty Images
A amamentação tem benefícios tanto para o bebê quanto para a mãe imagem: Getty Images

Nicholas Bakalar

Do The New York Time

 

Um novo estudo sugere que a ação de amamentar, que já foi associada à diminuição do risco de câncer de mama, talvez também gere outro benefício para as mulheres: reduzir o risco de reincidência do câncer.

Publicado na edição de julho do periódico "The Journal of the National Cancer Institute", o estudo acompanhou 1.636 pacientes que venceram o câncer de mama. Os pesquisadores examinaram registros médicos e reuniram dados que determinaram se as mães tinham amamentado seus filhos. Eles descobriram 383 reincidências e 290 óbitos por câncer de mama durante o acompanhamento que levou, em média, nove anos depois do término do tratamento.

Após o controle dos fatores idade, tabagismo, nível de escolaridade, raça e tipo de tratamento, entre outros, eles descobriram que a amamentação –independente do período– estava associada a uma redução de 30% no risco de reincidência da doença. Além disso, os pesquisadores descobriram que as mulheres que amamentaram por mais de seis meses tiveram uma redução ainda maior de risco de reincidência, 37%. As reduções também foram semelhantes para os casos de óbitos por câncer de mama.

"Amamentar faz bem para o bebê e esse estudo sugere a existência de benefícios adicionais para a mãe. Esse resultado contribuirá com os dados disponíveis para que a mulher tome a decisão de amamentar ou não", afirmou Marilyn L. Kwan, principal autora do estudo e pesquisadora da Kaiser Permanente de Oakland, na Califórnia.

A redução do risco de reincidência é mais evidente para os tumores receptores de estrógeno positivo –tipo mais comum de câncer de mama–, mas não foi significativa para as mulheres com tumores HER2 positivo. A amamentação gera algumas alterações moleculares nas células da mama, o que pode explicar esse efeito protetor contra a doença.

Topo