Gravidez e filhos

Crianças têm queimaduras graves depois de ida a parque aquático

Reprodução/fox23.com
Os irmãos Conner e Tray Broadway sofreram queimaduras de segundo e terceiro graus imagem: Reprodução/fox23.com

Do UOL, em São Paulo

Shaunna Broadway, 26 anos, moradora da cidade de Vinita, Oklahoma, nos Estados Unidos, teve uma surpresa desagradável no dia 24 de julho, quando foi buscar os filhos Conner, 7, e Tray, 5, na creche Happiness Is a Learning Center. Ela os encontrou chorando, com queimaduras solares de segundo e terceiro graus, depois de um passeio que fizeram a um parque aquático da região.

"Eu os deixei na creche às 9h, pois iriam passar o dia em um parque aquático. Quando saí do trabalho, às 17h, e fui buscá-los, estavam visivelmente queimados. Um dos funcionários até caçoou do mais velho, falando que estava chorando como um bebê", disse a mãe, que cuida das crianças sozinha. Wayne Broadway, avô dos meninos, relatou o caso à rede de TV Oklahoma Fox23.

Shaunna contou que os responsáveis pelo estabelecimento alegaram que não havia protetor solar no parque e que os funcionários de lá orientaram as crianças a não tirarem a roupa, mas que os filhos dela não respeitaram essa ordem.

"De qualquer maneira, com ou sem roupa, eles não deveriam ter ficado expostos ao sol o dia inteiro. A sensação térmica nesse dia chegou a 47°C, e a imprensa aconselhava as pessoas a não saírem de casa", falou a mulher. 

Assim que pegou os filhos, ela entrou em contato com um hospital da cidade, que a orientou a comprar uma pomada contra queimaduras em uma farmácia. "Disseram que não poderiam fazer nada para ajudar os meninos até que surgissem bolhas nas partes queimadas da pele. Eles sofreram a noite inteira e, no dia seguinte, as bolhas começaram a aparecer", contou.

Reprodução/facebook.com/amanda.harvey.142
Tray, 5, teve queimaduras solares de segundo grau imagem: Reprodução/facebook.com/amanda.harvey.142

Fotos dos meninos com bolhas nas costas e ombros foram publicadas no Facebook pela tia de Shaunna, Amanda Harvey, que denunciou o caso à emissora.

A mãe levou as crianças ao hospital, mas elas não paravam de chorar e reclamar de dores. "O mais velho disse que estava com dores no peito e que tinha dificuldades para respirar", falou. No dia seguinte, decidiu levar os filhos para um hospital em Tulsa, no mesmo estado, para ter outra opinião médica. O caso foi considerado tão grave, que, no domingo, os meninos foram transferidos para o hospital infantil Shriners, em Galveston, no Texas, que fica a quase 950km de distância da casa deles.

Lá, passaram por procedimentos cirúrgicos e ambulatoriais, mas continuam internados. O avô das crianças disse ao site do jornal americano "Daily Mail" que a pele queimada foi removida cirurgicamente e que os curativos são trocados periodicamente, mas não está descartada a necessidade de enxertos de pele.

Ao site BuzzFeed Life, o policial Bobby Floyd, que investiga o caso, afirmou haver suspeitas de negligência e maus-tratos. Ele disse que funcionários do hospital, da creche e do parque aquático foram interrogados, assim como familiares próximos. "Nenhuma outra criança que foi ao passeio teve queimaduras. Também vamos ver os vídeos das câmeras de segurança do parque, para saber quanto tempo os meninos ficaram expostos ao sol", contou.

Topo