Gravidez e filhos

Família caminha 6.000 km para homenagear filha que morreu de câncer

Divulgação
A família Cobb fez uma caminhada para homenagear a filha Julia imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

Jennifer e Jonathan Cobb e seus três filhos percorrem mais de 6.000 quilômetros para homenagear a filha Julia Cobb, que morreu aos oito anos de câncer em outubro de 2013, ao final de uma viagem para a Disney, na Flórida. A informação é do site americano "Today.com".

"A caminhada em si durou 320 dias e nós decidimos ir da Disney da Califórnia até ao parque localizado na Flórida, pois foi onde tivemos as últimas memórias com a Julia. Um dia antes de morrer, ela dançou com o príncipe encantado e teve uma sessão de fotos com Cinderela. Foi lindo”, afirmou a mãe ao site americano.

Como a família tinha pouco dinheiro, a meta da caminhada era conscientizar e levantar fundos para a Fundação JuCan, criada em homenagem à filha, para combater o câncer infantil.

Divulgação
Julia Cobb morreu de câncer em 2013 ao final de uma viagem para a Disney imagem: Divulgação

Jennifer conta que eles confiavam que as pessoas iriam ajuda-los durante a travessia e isso, de fato, aconteceu. Várias pessoas pagaram pelas refeições da família, hospedagens em hotéis, além de doações em dinheiro para arcar com outras despesas.

A família participou de eventos em igrejas, escolas e clubes para compartilhar a história de Julia e promover a Fundação JuCan.

Ao longo da jornada da Califórnia para a Flórida, que durou 10 meses, eles andaram, em média, de 30 a 40 quilômetros todos os dias, o equivalente a quase uma maratona diária. O maior desafio foi passar pelo deserto de Mojave, na Califórnia, com temperaturas acima de 45ºC.

A família chegou à Disney em junho e agora tem como objetivo construir o "JuCan Castle," local para acomodar famílias com filhos que passam por tratamentos em Houston, no Texas.

"Nós aprendemos a nossa lição com a Ju", afirmou o pai. "Todos os dias nós ainda lutamos. É ótimo falar sobre a diversão, sobre esse passeio inspirado nela, mas ainda estamos sofrendo. Nós sentimentos a falta dela todos os dias, mas, no meio da nossa dor, nós pensamos: qual é a melhor maneira de passar por isso? Ajudando outras pessoas, então resolvemos fazer essa caminhada”, contou ao "Today.com".

Topo