Gravidez e filhos

"Ser pai é virar coadjuvante da própria vida", afirma Márcio Garcia

Divulgação
Márcio Garcia faz questão de participar ativamente da vida dos filhos imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

 

Pai de quatro filhos com idades diferentes --Pedro (12), Nina (10), Felipe (seis) e João (um ano e quatro meses), o ator Márcio Garcia coloca o cuidado e a atenção com os filhos como prioridade. "Ser pai é virar coadjuvante da própria vida. Quando se é solteiro, você escolhe para onde vai viajar, para onde vai sair à noite, mas quando você vira pai, tudo muda, pois você analisa o que vai ser mais legal de você fazer com o seu filho", afirmou o ator durante lançamento do movimento "Papai Manda Bem", lançado pela marca Bepantol Baby, para incentivar a participação dos pais na criação e nos cuidados com os filhos, nesta quinta-feira (6), em São Paulo.

Como as crianças têm uma diferença de idade grande, o ator costuma criar oportunidades para ficar sozinho cada um dos filhos. "Quando a gente viaja ou sai é sempre em bando, então fica aquele gerenciamento de conflito, porque cada um quer fazer uma coisa... Por isso, sempre crio uma oportunidade para sair com cada um deles sozinho para que a nossa conexão se intensifique", contou.

Você, mãe, acha que foi muito controladora quando seu filho era bebê?

Resultado parcial

Total de votos
Total de votos

Com a vida corrida, o ator reconhece que é difícil estar presente na vida dos quatro o tempo todo, mas procura focar nas crianças sempre que está com eles. “Quando algum dos meus filhos chama, deixo o celular de lado e foco nele, dou a atenção que eles merecem. Inclusive, hoje, abro mão de coisas que eu gostava de fazer, como jogar futebol na quarta-feira, para ficar com eles. É uma questão de preferência”, afirmou.

Para ele, a consciência de que os pais devem estar presente na vida dos filhos ainda é algo novo, mas que tem crescido com o passar do tempo. “A informação que circula hoje é muito maior, tem grupo de pais no Whatsapp para tirar dúvidas sobre o comportamento dos filhos. Eu, por exemplo, não tenho nenhuma referência do meu pai cuidando de mim, mas sempre fui presente na criação dos meu filho.”

No lançamento da campanha, Márcio também destacou que as mães precisam estar mais dispostas a deixar os pais cuidarem das crianças. "Com o meu primeiro filho, Pedro, a Andrea era uma leoa, ela não deixava eu tocar nele, mas, depois que veio a Nina, ela passou a me incluir mais nos cuidados", falou.
 

Topo