Gravidez e filhos

Sandy diz que, após parto, ficou com espaço na barriga; entenda a diástase

Marcelo Prata/TV Globo
Grávida, Fernanda Gentil entrevistou Sandy no "Esporte Espetacular" imagem: Marcelo Prata/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

 

A cantora Sandy revelou durante uma entrevista no quadro "Mamãe Gentil", do "Esporte Espetacular" (Globo), que sofreu diástase após a gestação do filho, Theo. Segundo o ginecologista e obstetra Sérgio Hecker Luz, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), a diástase não é uma doença, mas, sim, uma condição fisiológica comum que acontece durante a gestação.

"A diástase é o afastamento dos músculos do abdome. O organismo feminino prepara o corpo para a gestação e o aumento da parede abdominal nesse período faz com que ocorra esse processo de afastamento", explica Luz.

O membro da Febrasgo afirma que essa condição atinge grande parte das mulheres no pós-parto, no entanto, ela nada tem a ver com o tipo de parto realizado. "Esse processo acontece na gestação e não no momento do parto, portanto não importa se foi via cesárea ou normal. A única diferença é que na cesariana (caso de Sandy) o 'buraco' fica acima do umbigo e no parto vaginal perto do púbis", afirma Luz.

O diagnóstico é realizado por meio de um exame físico em que o médico solicita para que a paciente, deitada, se levante sem o auxílio das mãos. Quando ela está com diástase, os médicos observam uma elevação na região central do abdome.

Não é possível prevenir a diástase, no entanto, é possível tratá-la sem intervenções cirúrgicas, como abdominoplastias, que segundo Luz, podem atrapalhar gestações futuras. Mas para isso é preciso dar tempo ao tempo e investir nos exercícios físicos. A própria Sandy tem se exercitado para reverter o quadro. "Estou até agora lutando no abdominal para ver se a barriga volta totalmente ao lugar, porque ficou um espacinho entre o músculo aqui", afirmou a cantora no programa.

"A maioria das diástases fica imperceptível depois de algum tempo e com o auxílio de exercícios para fortalecer a musculatura abdominal, como musculação e pilates. Em média, em torno de um ano, as mães já não observam esse afastamento, no entanto, cada organismo reage de uma maneira", declara o ginecologista.

 

Topo