Gravidez e filhos

Mãe de gêmeas de 2 anos, Natália Guimarães se assume ciumenta com as filhas

Do UOL

Quando Natália Guimarães, 30, tinha um tempo de folga, ocupava-se com idas ao shopping, salão de beleza ou a clínicas de estética. A estudante de jornalismo, que se tornou Miss Brasil aos 22 anos, sempre teve um compromisso com a beleza. Hoje, seu maior comprometimento é com as filhas gêmeas, Kiara e Maya, 2. “Organizo meus horários de acordo com o descanso delas. Só quando elas não precisam de mim é que vou me cuidar”, diz. “Se elas vão ao parquinho, pela manhã, consigo fazer uma atividade física. Na hora da soneca da tarde delas, marco outros compromissos, como médico ou dentista.”

Casada há sete anos com o cantor Leandro, Natália se realizou com a gravidez gemelar. “Sou filha única, a vida inteira desejei um irmão. Mas, quando engravidei, nem pensei nessa possibilidade. Foi uma surpresa muito boa”, afirma.

Ao longo do primeiro trimestre, a gestação correu bem mas, no quinto mês, Natália teve um descolamento da placenta, o que fez com que ela precisasse fazer repouso absoluto até o nascimento das crianças. “Só levantava para ir ao banheiro, passar na cozinha ou tomar sol na área externa de casa.”

Com a chegada de Kiara e Maya, tudo precisou ser ajustado na vida de Natália, que está à frente das reportagens especiais produzidas para o programa matinal “Hoje em Dia” (Record). Ela conta com a ajuda da mesma babá que a acompanhou na infância e também do marido, da mãe e da sogra, para dar conta das duas crianças. “Elas não andam mais, correm. Temos de ficar atrás o tempo todo”, diz.

A logística para sair de casa com as filhas também é diferente de quando se tem um filho só. “Para a gente sair com as meninas, é preciso, no mínimo, dois adultos”, afirma. Além disso, nos passeios, é fundamental carregar diversos acessórios que toda mãe conhece bem, só que em quantidade dobrada. “Meu carro está equipado com duas cadeirinhas e DVD. Aí, na bolsa, vai o de sempre: fralda, lenço umedecido e mamadeiras”, diz. Fora os itens obrigatórios, há aqueles que as gêmeas não abrem mão. “Kiara gosta de carregar um cobertor e um bicho de pelúcia. Maya não sai sem a fraldinha dela. O mais legal é que uma já sabe das preferências da outra e, quando esqueço, elas me ajudam a lembrar.”

Por estar no último ano do curso de jornalismo, Natália se divide entre Minas Gerais, onde nasceu e estuda, e São Paulo, onde mora com Leandro. “São também as cidades onde ficam os avós, que são muito apegados às netas”, diz.

Rostos semelhantes, personalidades distintas

Kiara e Maya têm personalidades muito distintas, segundo a mãe. Enquanto a primeira é mais agitada, a segunda faz o estilo reservada. “Elas também têm rotinas de sono bem diferentes. A Kiara dorme bem mais cedo. Maya é nossa companheira na noite. Às vezes, passa das 23h e ela ainda está acordada”, conta.

Quando estão despertas, as duas gostam de inventar brincadeiras e se divertirem juntas. “Elas são bem unidas, como eu queria ser com um irmão quando era criança. Quando uma não está, a outra logo pergunta, quer saber o motivo”, afirma.

Fisicamente, elas também não são exatamente iguais, por isso, Natália gosta de, vez ou outra, vestir roupas idênticas nas meninas. “Acho muito bonitinho usar roupas iguais exatamente porque elas são muito diferentes, mas sei que preciso manter a individualidade delas, até porque cada uma já tem suas preferências”, diz.

Até o momento, as crianças ficam com a babá e as avós, mas a ideia dos pais é colocá-las em uma escola em breve. “Ou elas vão agora, no meio do ano, ou no início do ano que vem. Acho importante serem estimuladas, ainda que as duas sejam muito inteligentes”, afirma.

Como mãe, Natália se diz cuidadosa e preocupada, porém bastante flexível. Seu ponto fraco? Ser ciumenta! “Tenho muito ciúme delas. Se pudesse, ficaria com as duas 24 horas por dia. Queria que elas só precisassem de mim”, diz. “Mas é claro que isso não funciona, elas precisam de toda a família e são muito, muito amadas.”

Topo