Gravidez e filhos

Fotógrafos registram bebês nascidos mortos para famílias terem recordação

Susan Cook/Nilmdts
Em julho deste ano, Brandan Noah nasceu morto aos sete meses de gestação imagem: Susan Cook/Nilmdts

do UOL, em São Paulo

Uma organização americana composta por fotógrafos voluntários faz um trabalho diferente nas maternidades. Eles acompanham pais de natimortos (feto viável expulso morto do útero materno) ou de bebês que morreram logo após o nascimento para registrar o único momento que a família terá com aquela criança. Para a "Now I Lay Me Down To Sleep" (agora eu me deito para dormir, em tradução livre do inglês), que presta um serviço gratuito, as fotos "servem como um passo importante na recuperação de um momento tão doloroso".

Em entrevista ao site americano "Upworthy", Lauren Harris, que, em julho, deu à luz o segundo filho sem vida, falou sobre o significado de ter um álbum como esse. "Quando olho para as fotos, eu me vejo novamente naquele dia horrível. Mas, ao mesmo tempo, foi quando conheci o meu filho." Nas fotografias, o bebê Brandan Noah aparece ao lado da mãe, do pai e da irmã.

Criada em 2005 por um casal que perdeu seu bebê com seis dias de vida, a "Now I Lay Me Down To Sleep" sobrevive com donativos. São cerca de 1.700 fotógrafos espalhados pelos Estados Unidos e mais 40 países.

Topo