Gravidez e filhos

Para pediatra do 'Bem-Estar', mãe deve pensar menos no sucesso do filho

Divulgação
Ana recomenda que as mães pensem no futuro, mas vivam o presente imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

 

Para a pediatra Ana Escobar, consultora do programa "Bem-Estar" (Globo), a preocupação excessiva da mãe com o futuro é nociva. "Muitas mulheres pagam um bom estudo para que o filho ganhe bem, matriculam no inglês, no chinês, mas elas precisam ter em mente que melhorar o padrão de vida não vai garantir a felicidade no futuro", afirmou a especialista em um painel sobre ansiedade e busca pela felicidade no século 21, na quarta-feira (4), em São Paulo.

Segundo Ana, a ansiedade de que a criança precisa sair na frente é "corrosiva". "A mãe transmite isso para a criança. Muitas chegam no consultório contando vantagem: 'meu filho andou com dez meses,' e penso: 'e dai?'."

Na opinião da pediatra, ficar pensando apenas no futuro deixa a mãe mais ansiosa, pois ele só existe na imaginação. "O ideal é viver o tempo presente, sentir prazer nos momentos com os filhos e com a família. Pensar no futuro, claro, mas viver no presente."

Ana afirma que as atividades extracurriculares são úteis, mas fala que os cursos deve ser escolhidos com planejamento, permitindo que a criança ainda tenha tempo para brincar. "Ela precisa ter tempo livre para brincar, pois o ato faz com que a imaginação se desenvolva. Com criatividade, a criança vai se preparar para o mundo."

A pediatra também destaca a necessidade de proporcionar ao filho oportunidades de brincar ao ar livre, com outras crianças. "Não dá para negar a importância da tecnologia nos dias de hoje, já faz parte do nosso cotidiano, mas não precisa ser a nossa vida. É importante saber dosar o tempo que o filho fica nos aparelhos eletrônicos."

Topo