Gravidez e filhos

Opções saudáveis no almoço das escolas estimulam crianças a comerem melhor

Getty Images
Lei exigiu que alunos selecionassem pelo menos uma porção de frutas e vegetais imagem: Getty Images

Nicholas Bakalar

Do The New York Times

 

Em 2012, entrou em vigor uma lei federal que visava melhorar a qualidade nutricional dos almoços nas escolas americanas. Essa lei parece estar funcionando, segundo um relatório. O Ato Crianças Saudáveis e Alimentadas aumentou a disponibilidade de grãos integrais, vegetais e frutas nas escolas. Também exigiu que os alunos selecionassem pelo menos uma porção de frutas e vegetais a cada refeição.

No decorrer do ano antes de o programa começar, e no ano seguinte, os pesquisadores recolheram dados da seleção de alimentos em três escolas de ensino fundamental e três de ensino médio em distritos urbanos do Estado de Washington, onde pelo menos 54% dos alunos têm direito à alimentação gratuita ou a preços reduzidos. Eles avaliaram mais de 1,7 milhões de refeições servidas. O estudo foi publicado no periódico "JAMA Pediatrics".

Em uma escala de 100 pontos que mede a quantidade dos seis nutrientes essenciais consumidos, os estudantes marcaram uma média de 58,7 antes da nova lei e 75,6 depois, e a quantidade de calorias por peso de comida ingerida diminuiu significativamente. A porcentagem de crianças participando do programa de refeições permaneceu o mesmo.

“Isso mostra que a lei está funcionando. Melhorou a qualidade das refeições servidas para milhões de crianças todos os dias. Os distritos podem seguir a lei, e as crianças aceitam. E estão mais saudáveis por causa disso”, afirma a principal autora, Donna B. Johnson, professora da Escola de Saúde Pública da Universidade de Washington.

Topo