Gravidez e filhos

Obesidade e hormônios aumentam risco de varizes em adolescentes

Getty Images
Para evitar varizes, jovens devem praticar atividades físicas imagem: Getty Images

Beatriz Vichessi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

 

Não é somente em organismos adultos que o problema das varizes aparece. As chamadas veias varicosas, que têm o volume aumentado e se tornam tortuosas com o passar do tempo, também podem aparecer nas pernas e nos pés dos adolescentes. O problema é hereditário, mas também pode surgir em jovens obesos, sedentários e que já tenham usado hormônios para ganho de massa muscular e anticoncepcionais.

"Em um organismo sadio, o fluxo do sangue no interior das veias ocorre no sentido do coração. Considerando os membros inferiores, no sentido dos pés ao coração, o fluxo é contrário à força da gravidade. Porém, graças às válvulas que existem dentro das veias, o sangue não retorna para baixo", explica Henrique Lamego, cirurgião vascular do Hospital Samaritano, de São Paulo. No entanto, quando existe algum defeito nessas válvulas, elas não conseguem evitar que o sangue volte. Então, o sangue reflui e provoca um aumento da pressão no interior das veias, o que faz com que elas dilatem.

Apesar de muita gente acreditar que o uso de salto alto, utilizado com frequência pelas adolescentes, possa provocar o aparecimento de varizes, os médicos afirmam que se trata de um mito.

Eduardo Toledo Aguiar, diretor clínico da Spaço Vascular, professor livre-docente de cirurgia vascular da USP (Universidade de São Paulo) e membro da ABFL (Associação Brasileira de Flebologia e Linfologia), diz que o salto alto acarreta outros males se usado em excesso e com frequência, como problemas na movimentação do calcanhar, cansaço e inchaço das pernas –e esse último, sim, pode fazer com que apareçam varizes em alguns organismos.

Cuidados

É importante que os jovens não desconsiderem o aparecimento de veias varicosas, pois os médicos consideram a questão um problema crônico, mas controlável por meio de mudanças de hábitos. A consulta médica é importante para que o profissional possa avaliar o quadro, classificar as varizes, observar a quantidade e analisar se é necessária a remoção por meio de cirurgia.

Quanto mais inicial o quadro for analisado, mais fácil o tratamento e mais simples a cirurgia, que tende a não deixar marcas.

Vale ressaltar que a grande preocupação dos profissionais não são as varizes propriamente ditas e, sim, a formação de coágulos nessas veias dilatadas. Conversar com um profissional da área vascular também ajuda a esclarecer a diferença entre varizes e capilares dilatados --que têm aspecto de teia de aranha e não precisam ser tratados obrigatoriamente, pois não oferecem riscos à saúde.

Segundo Nelson Wolosker, cirurgião vascular da Sociedade Beneficente Brasileira Israelita Albert Einstein, de São Paulo, o tratamento dos capilares é uma questão estética. "Nesse caso, fazemos aplicação de glicose, que irrita o vasinho por dentro e faz com que o organismo absorva-o."

Para não deixar que as veias varicosas tomem conta das pernas e dos pés dos adolescentes é importante conhecer o histórico familiar, manter uma dieta alimentar saudável e balanceada e evitar o efeito sanfona, acarretado por ganho e perda de peso, além de praticar esportes.

Somente a prática de halterofilismo é contraindicada pelos especialistas, pois pode colaborar com o aparecimento do problema, além de provocar outros malefícios para o organismo jovem, ainda em formação.

Topo