Gravidez e filhos

Uso de antibiótico em bebês menores de dois anos aumenta risco de obesidade

Getty Images
Quanto mais frequente o uso, maior o risco de a criança se tornar obesa imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

Um estudo publicado no periódico científico “Gastroenterology”, órgão oficial da Associação Americana de Gastroenterologia, apontou que o uso de antibióticos em crianças menores de dois anos aumenta em 25% o risco de obesidade na primeira infância.

Segundo Frank Irving Scott, professor assistente de medicina na Universidade do Colorado, em Aurora, nos Estados Unidos, os antibióticos têm sido usados por décadas para promover ganho de peso na criação de gado, e a pesquisa confirma que eles causam o mesmo efeito em humanos. 

O pesquisador explica que o objetivo do estudo não é banir o uso dos remédios, mas encorajar os médicos e pais a pensarem duas vezes antes de usá-los sem uma indicação clara.

O estudo foi realizado com base na análise do histórico médico de mais de 20 mil crianças, entre três meses e quatro anos, no Reino Unido. Foram avaliados registros feitos entre 1995 a 2013. O risco de desenvolver a obesidade foi maior nas crianças que passaram por três ou mais tratamentos feitos com antibióticos.

Nos Estados Unidos, estima-se que esse tipo de medicamento seja prescrito em 49 milhões de visitas ao pediatra por ano, sendo que, dessas prescrições, 10 milhões não têm indicação clara, o que aumenta o risco de resistência aos remédios, doenças autoimunes, alergias e complicações em quadros de infecção.

Outros estudos serão realizados para verificar se a associação entre o uso de antibióticos e a obesidade permanece na adolescência e se alguns tipos de medicamentos são mais perigosos do que outros para o ganho de peso.

Topo