Pós-parto

Consultora de amamentação pode dar uma força para mãe e bebê se entenderem

Arquivo Pessoal
Maristela Lima --com o filho Gael-- teve ajuda de uma consultora para vencer uma mastite imagem: Arquivo Pessoal

Pamela Marul

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Amamentar não é tão fácil quanto parece. Por mais que para algumas mulheres seja natural e instintivo, para outras, pode ser uma das maiores dificuldades da maternidade, principalmente nos primeiros dias de vida do bebê. Para não deixar de amamentar, muitas mães têm contado com uma nova aliada, a consultora de amamentação.

A especialista esclarece e apoia a mãe para resolver diversas dúvidas, como pega correta (a forma adequada de o bebê abocanhar o seio), bico do seio rachado e mama empedrada.
 
A consultora de amamentação também tenta ajudar a diminuir as angústias e o desconforto que fazem com que muitas mulheres desistam de amamentar seus filhos e partam para a mamadeira.
 
“Trabalhamos durante a gestação e no pós-parto. Na gravidez, a mulher é orientada quanto à técnica de amamentação. Já no pós-parto, a mãe recebe auxílio para evitar ou resolver possíveis dificuldades que podem acontecer durante o período”, afirma Rosane Baldisseta, consultora internacional em amamentação e coordenadora do IBLCE (International Board Of Loactation Consultant Examiners) no Brasil.
 

Mãe de Gael, 10 meses, Maristela Lima teve de pedir ajuda de uma consultora de amamentação duas semanas após o nascimento do menino, porque desenvolveu um quadro de mastite (inflamação das mamas). “No início, achei que estava indo bem. Ele mamava, eu tinha bastante leite, doía um pouco, mas achei normal. Dias depois do parto, meu peito estava inchado, vermelho, bico rachado e muita dor a cada mamada.”
 
Segundo Maristela, ela consultou três profissionais da área da saúde e só ficou mais confusa. “Cheguei a ouvir que meu bico era muito grande e que por isso a pega estava incorreta. Quando a consultora de amamentação Niti Fuganti, do Casa Mãe [espaço para gestantes, mães e bebês em Curitiba] me visitou, tive sobretudo um alívio emocional, pois ela me acolheu, além de me dar várias dicas”, fala.
 
A maioria das consultoras de aleitamento são formadas em fonoaudiologia e fazem especializações como voz e aparelho fonador, para assim entender e perceber as dificuldades dos bebês na hora que são amamentados.
 
A procura das mães por uma especialista em aleitamento geralmente acontece por indicação de obstetras, pediatras e doulas.
 
“Muitas também procuram por conta própria. Como hoje em dia o trabalho das consultoras é mais divulgado, algumas mães quando engravidam já conhecem e procuram”, diz Juliana Diniz, assessora para gestante, lactantes e bebês de Goiânia.
 
Para a especialista, o indicado é procurar esse serviço já na 28ª semana de gestação, para preparar o bico do seio para depois do parto. “Essa preparação é muito boa para mulheres que não têm bico ou que têm ‘bico escondido’ (pouco aparente). Nesses casos, indico uma concha de amamentação para ser usada duas horas por dia, para formar o mamilo”, fala Juliana.
 
No pós-parto, a consultoria depende da demanda de cada mãe e bebê. Em média, são três encontros, que duram de uma a três horas. Nesse período, a consultora acompanha a mamada, observa como está a técnica de amamentação (como posição, pega e sucção do bebê e rotina de aleitamento), avalia a produção de leite materno e faz o diagnóstico da amamentação. De posse dessas informações, ela orienta e auxilia na reversão dos problemas, caso existam.
 
“As dificuldades das mães são muito variadas, mas a principal continua sendo dor, mamilos machucados e questões relacionadas à produção do leite materno”, declara Rosane Baldisseta. O atendimento pode começar já na maternidade, e as consultas seguintes serem feitas na casa dos pais.
 
Um pacote com uma consultoria na maternidade e uma em casa pode variar de R$ 300 a R$ 350. Já para duas consultas em casa, sem a da maternidade, chega a custar por voltar de R$ 250. As consultas avulsas saem a partir de R$ 180* (valores consultados na região de Goiânia).

Instagram/Fernanda Machado
Fernanda Machado ainda amamenta Lucca, hoje com 11 meses imagem: Instagram/Fernanda Machado
Morando em Santa Barbara, nos Estados Unidos, a atriz Fernanda Machado pode contar com o serviço de uma consultora de amamentação no próprio hospital no qual deu à luz Lucca, seu filho hoje com 11 meses.
 
“Mesmo com toda a orientação que recebi e com um começo bem-sucedido, sofri no primeiro mês com as rachaduras no peito. Depois, Lucca teve refluxo. Como ele não conseguia mamar muito [por causa do problema], o leite que sobrava no peito começou a empedrar. Foi aí que voltei para o mesmo hospital onde ele nasceu para frequentar o círculo de amamentação que eles oferecem uma vez por semana, um encontro entre mães e consultoras. As mães amamentam seus bebês, enquanto as consultoras observam e nos ajudam a solucionar possíveis problemas. Foi o que me ajudou muito a superar as dificuldades.”
Topo