Gravidez e filhos

Seu filho adolescente gosta da sua companhia?

Getty Images
imagem: Getty Images

Avalie como anda o relacionamento com seu filho a partir do teste feito com a colaboração do psicólogo José Carlos Vitor Gomes, especialista em psicoterapia clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

  • Getty Images

    Sim, vocês se divertem juntos

    Sua família valoriza a interação e busca encontrar atividades que agradem a todos. E, de acordo com as suas respostas, isso vem ajudando a manter seu filho mais próximo, ainda que ele tenha seus próprios interesses. "Quando os pais fazem questão de estar presentes e investem na vida em família, os filhos se acostumam com a presença deles e passam a aproveitar bem os momentos que passam juntos", afirma o psicólogo José Carlos Vitor Gomes

  • Getty Images

    Depende do momento e lugar

    Suas respostas indicam que seu filho nem sempre compartilha dos momentos em família e, às vezes, prefere se isolar. Um comportamento que geralmente está dentro do padrão, principalmente na adolescência. "É normal que, após os dez ou 12 anos, os filhos queiram ficar sozinhos por algum tempo, seja para jogar, ouvir música, falar com os amigos ao celular ou interagir nas redes sociais", diz o psicólogo José Carlos Vitor Gomes. O isolamento total, das famílias e da turma, é que deve ser tomado como um sinal de alerta

  • Getty Images

    Não, sua presença o deixa constrangido

    Tudo indica que seu filho anda distante da família e, em algumas situações, fica constrangido com a sua presença. Na adolescência, é normal que isso aconteça. Porém, também vale a pena avaliar se não é você quem está forçando a barra. "Os filhos adolescentes normalmente ficam sem graça quando os pais tentam invadir a privacidade deles e expõem detalhes íntimos de sua vida aos amigos, por exemplo. É importante que compreendam isso e preservem o jovem, tanto quanto possível", afirma o psicólogo José Carlos Vitor Gomes

  • Getty Images

    Não, vocês estão muito distantes

    Suas respostas indicam que você e seu filho passam pouquíssimo tempo juntos e por isso mesmo não têm muita intimidade. Segundo o psicólogo José Carlos Vitor Gomes, é importante investir na relação agora, deixando claro que está à disposição para o que ele precisar, ainda que encontre uma certa resistência. "A melhor forma de se reaproximar do filho é assumir um comportamento respeitoso, seguro e assertivo", diz o especialista. Também vale a pena observar se ele não está assumindo um comportamento de total isolamento, que pode indicar problemas

Topo