Horóscopo

Céu de abril de 2012

Por Barbara Abramo

Abril começa sob tensões astrais, e o cenário se mostra delicado especialmente para o mercado internacional. Marte retrógrado se opõe a Netuno, o que significa desorientação geral nas estratégias comerciais. O comércio de exportação e importação se ressente deste quadro de indefinições, que se prolonga até meados de abril. É quando Marte retoma seu movimento direto, mas somente no fim do mês podemos esperar diretivas mais claras. Quem se prejudica com esse quadro astral são os grandes conglomerados, as multinacionais e a balança comercial brasileira. Precisaremos ter paciência, pois em maio é Vênus quem retrograda e dá sinal de variações para baixo nas bolsas de ações mundiais e de uma provável reordenação da política fiscal brasileira, com necessidade de ajustes urgentes.

No campo internacional, também teremos a progressão das tensões internacionais com Urano e Plutão em ângulo tenso – um aspecto que se prolongará e alcançará seu auge de junho a novembro de 2012. Até junho será possível encontrar soluções práticas para os impasses, mas as tensões de base não se resolverão antes do fim deste ano. De par com as tensões internacionais, assistiremos ao agravamento da crise europeia, cada vez mais profunda, o que deve provocar desespero e desânimo na população.

Para o Brasil, apesar de um panorama mais difícil, o cenário astral não está desastroso como para outros países. Marte realmente sinaliza dispêndios com gastos públicos maiores e necessidade de revisão de taxas, impostos e leis que os regem – em especial as exportações e importações, tema que ainda vai dar muita briga entre a sociedade civil, as câmaras e o governo federal em neste ano.

Confiando no mapa do ingresso do Sol em Áries para o Brasil, ocorrido na madrugada de 20 de março, as perspectivas são boas para o país, embora prometam grandes testes para a presidente Dilma a partir de agosto deste ano. Até lá, podemos respirar com mais leveza, diante de um quadro internacional complexo.

A Lua cheia em Libra, no dia 6, aponta resultados positivos para acordos internacionais que envolvem educação em massa (políticas públicas no campo da educação) e prometendo algum envolvimento de empresas ligadas à mídia nessas empreitadas. Também haverá movimentação envolvendo estradas, empresas viárias e aeroviárias e aeroportos. Este é um período ótimo para formalizar acordos realistas e melhorar o atendimento ao cidadão brasileiro.

Perdas sentidas no mundo e no Brasil podem ser esperadas em meados do mês. É o fator tempo em ação, regulando o ritmo dos ciclos.

A Lua nova em Touro em 21 de abril parece brindar a Tiradentes e a soberania nacional. Descobertas de jazidas no subsolo serão importantes para assegurar a riqueza do Brasil. Há motivo para comemorar em grande escala, porque seus frutos serão sentidos com impacto no futuro do Brasil, que cada vez mais confirma sua vocação e destino de país de um futuro brilhante num momento de crise internacional. Aliás, a afluência de estrangeiros imigrantes em busca de oportunidades aumentará sensivelmente a partir deste ano, também por conta disso.

A Lua nova em Touro é ótima para alavancar projetos do governo ligados a assuntos como mídia, educação formal, comunicação e transportes. Seu mapa traz o tom desconcertante da oposição entre Marte e Netuno e traz, como foi explicado no início, desorientação ao comércio de exportação e importação. As oportunidades boas para o Brasil estão aí, mas por causa de leis de financiamento ou que incidem diretamente nas finanças nacionais, elas serão pouco aproveitadas. Seria inteligente rever especialmente as políticas protecionistas.

No plano cultural e artístico, a melhor época para o país começa depois da Lua nova em Touro. Espetáculos estrangeiros e apresentações de artistas do exterior obterão muito sucesso, enquanto que a música, a dança, o canto, o cinema e as artes visuais brasileiras poderão se expandir em outros países.

 Com o fim de abril chega também a época da expansão da malha viária e aérea brasileira. Teremos novidades por aí.

Topo