Horóscopo

Céu de setembro de 2013: aniversário do Brasil movimenta o plano astral

Barbara Abramo

Do UOL, em São Paulo

Em setembro, o Brasil faz aniversário! Todo ano, no dia 7 de setembro, fazemos a previsão para o ano que se inicia no país, justamente porque consideramos a data da independência do país. Também é possível utilizar outras datas para os prognósticos do Brasil, mas a entrada do Sol em Áries, que marca o outono, e o 7 de setembro são as mais marcantes nas apreciações astrológicas.

Portanto, além do cenário astrológico maior, determinado pelos aspectos entre Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão, a Lua nova e a Lua cheia do mês, em setembro também podemos avançar interpretações mais claras sobre o Brasil, usando a data de 7 de setembro de 2013, que ecoa a da independência, em 7 de setembro de 1822; trata-se do ‘retorno solar’ do Brasil, marcando mais um período de atividades.

Cenário internacional
No quadro mais amplo e que afeta o mundo em geral, saímos de uma quadratura complicada entre Júpiter e Urano, que representou abalos na ordem conservadora mundial no último mês de agosto, para ingressar num período de fortalecimento de estruturas conservadoras e de controle de massas, representada por Saturno e Plutão, que juntos unem forças em prol da manutenção de hierarquias e estruturas consolidadas.

Ponto a menos para as forças sociais que lutam por um mundo mais arejado e com menos privilégios. Momento de retroceder e repensar maneiras de agir num contexto em que empresas e grupos políticos e econômicos se unem em nome da manutenção do status quo; a burocracia se fortalece, as hierarquias estratificadas também. Todo esse movimento ocorre a partir da segunda quinzena e acompanha dois fenômenos astrológicos interessantes: a entrada do Sol em Libra, que destaca o poder da diplomacia internacional e anuncia acordos pautados em interesses comuns, além de acompanhar a primavera, e por outro lado a Lua cheia em Peixes, que acontece em 19 de setembro, ressaltando a necessidade de união dos povos em torno de interesses coletivos. A arte será o meio privilegiado para fazer os seres humanos entenderem que habitamos uma mesma ‘casa’, ou seja, o planeta Terra.

Além da harmonia entre Saturno e Plutão, o Sol transitando por Virgem, entre 1º e 2 de setembro, forma um belíssimo aspecto expansivo e protetor, com Júpiter em Câncer. O senso de autopreservação ficará aguçado, as finanças melhoram, o comércio esquenta e o otimismo volta, mas a xenofobia também.

Temas e assuntos relacionados ao mundo do trabalho estarão em evidência no Brasil por toda a primeira quinzena. Será aí que poderemos ver algumas novas regras e intervenções bancárias, como foi anunciado no mês passado que ocorreriam. E ocorreram mesmo, devido à alta do dólar. É o grande momento da economia brasileira, que parece ter se equilibrado num cenário conturbado e de retração. Em outubro, as condições desafiadoras retornam e desafiarão também o governo Dilma. Portanto, nada de esperanças vãs!

A Lua nova em Virgem precede por dois dias o aniversário do Brasil e ativa ainda mais os assuntos diplomáticos e as relações internacionais com outros países. Como dito no mês passado, esses assuntos ficam em pauta por algumas semanas, desafiando a inteligência e a sagacidade do nosso governo federal nos assuntos de política internacional. Se no mês passado foram as peripécias de senadores e a vinda de médicos cubanos, agora são os acordos comerciais que podem ou não afetar a balança comercial brasileira nos próximos meses. A questão dos acordos internacionais é, aliás, crucial para o Brasil por todo o período em que vigorar o retorno solar de 2013-2014.

Aniversário do Brasil
Quanto ao aniversário do Brasil, os pontos principais podem ser resumidos no que se segue. Em primeiro lugar, por  um ano, o país viverá um movimento de conscientização mais agudo a respeito de seus bens e recursos. A política de controle de informações e as relações com a mídia serão assunto de proa por todo ano. Construção de estradas pode ter a ver com esse movimento de consolidar as vias de comunicação do país --num sentido literal, as vias de transporte, num sentido imaterial, as redes de informação, telefonia móvel e internet. Esse é um assunto que merece atenção dos governos até setembro de 2014.

Sol e Júpiter, em ângulo suave, mostram a chance que o país terá de vencer desafios e superar limites, com boas colheitas e aumento de rebanhos nos meses de novembro de 2013 e janeiro de 2014. O triângulo formado pelo Sol, Plutão e nodo lunar sul colorem todo o período do retorno solar do período 2013-2014 e reforça a importância de decisões abrangentes para assuntos ligados a bens e recursos naturais, sinalizando também a vitória do Brasil diante desafios que outros países não serão capazes de enfrentar, talvez na economia. Água, petróleo, terras.. assuntos de proa!

Marte, em ângulo estressante com Saturno, anuncia um período de embates e rebeldia interna em dezembro de 2013 e março de 2014. Saturno anuncia crises e problemas em acordos internacionais. Financiamentos e pagamento de dívidas terão relações diretas com este acordo.

Saturno também mostra algo importante sobre o governo federal. Apoiado em um sextil com o Sol e com Plutão, o planeta ganha força e autoridade progressivas a partir de maio, num movimento que tem sucesso até maio ou junho de 2014. Altos e baixos na popularidade de Dilma? Sem dúvida, mas ao que os astros indicam, ela terá condições de amortecer os desafios neste período.

Sol e Mercúrio, em posição protegida no mapa do retorno solar, indicam brilho e reconhecimento de profissionais brasileiros no cenário nacional e externo também, especialmente no que tange a atividades de precisão, como veterinária, medicina e agronomia.

A Lua em Libra, assim como Vênus, anunciam pacificação e acordos com a categorias dos servidores públicos federais em todas as áreas em que existam, especialmente no mês de janeiro. A relação entre governantes e governados estará melhor a partir do inicio de 2014. Até lá, altos e baixos, especialmente dos governos estaduais em relação a Brasília.

O Brasil dificilmente se curvará a imposições econômicas internacionais no mês de maio, quando medidas mais enérgicas serão tomadas por outros países na tentativa de conter a onda de mudança estrutural --medida esta que terá valor por alguns meses apenas.

Finalmente, é possível dizer que o Brasil se sairá muito bem em concursos e competições em janeiro de 2014, trazendo brilho e reconhecimento ao país.

Topo