Horóscopo

Céu de agosto de 2014: mês fértil para o Brasil na política internacional

Barbara Abramo

Do UOL, em São Paulo

No contexto atual astrológico, o mapa astral do Brasil estará em destaque. A tendência já começa firme na Lua crescente em Escorpião, que ocorre no dia 3 e traz a promessa de um esforço concentrado da presidenta Dilma e assessores diretos em valorizar e exaltar as qualidades do governo atual. Essa Lua mexerá com os brios do Governo Federal, marcando respostas em âmbito nacional e internacional. O lado internacional fica por conta justamente de Sol e Júpiter, que ativam a área das relações diplomáticas com países estrangeiros.

Mas nem só de turras e desencontros se fará a diplomacia brasileira neste mês nervoso e estimulante. Há grandes chances de efetivar planos e projetos de longo a médio prazo com outros países, que devem começar a ocupar as atenções na segunda semana --e assim seguirá adiante até outubro, o mês das eleições. Vemos a presidenta Dilma se beneficiando de eventos internacionais na primeira quinzena, embalada pelo poderoso trígono que Júpiter em Leão estará formando em seu próprio mapa astral de nascimento. Júpiter, sendo astro de abundância, proteção e elevação, sem dúvida é sinal de ampliação da capacidade de aglutinação e desenvolvimento de nossa governante. Desdobramentos dos acordos com os BRICs, inclusive o Banco dos BRICs, tem muito a ver com isso.

Além da boa onda astral a favor de Dilma em termos internacionais, a primeira e segunda semanas do mês favorecem movimentos da sociedade civil, que ganharão bastante impulso neste mês. Setores ligados aos serviços públicos estarão em primeiro plano: segurança à população, serviços médicos, transportes, entre outros.

Na época da Lua cheia, no dia 10, entra em destaque a capacidade de negociação do Governo Federal em relação a demandas e movimentações no Senado e na Câmara. Plutão anuncia que interesses de lobbies ou grandes empresas poderosas terão algum impacto neste cenário. Decidirão, inclusive, o destino de alguns desentendimentos.

Para o povo brasileiro, o período entre os dias 10 e 20 será o mais desafiador; polarizando opiniões e interesses populares versus os interesses de certas categorias ou de governos estaduais. Como uma tendência, será também visível o descompasso entre interesses da União e dos Governos estaduais, que precisarão discutir pontos práticos relacionados a serviços oferecidos a população. Mas a cabeça de muita gente estará quentíssima. Para Dilma, chance de testar seu poder diplomático, já que a Lua cheia ativa o planeta Vênus no seu mapa de nascimento.

Importante notar também que na primeira quinzena Marte e Júpiter mantém relação difícil e tensa, indicando a diferença de sentidos e direções entre o que pretende realizar o núcleo de poder  --em nível federal --e as diversas aspirações e reivindicações de setores de serviços da população. Lá por volta da segunda quinzena, as contradições estarão mais agudas.

Outro momento marcante tem início na Lua nova em Virgem, no dia 25, que acrescenta a este quadro mais atenções para as finanças, seus problemas internos, agricultura e pecuária, além de sistema bancário.

Acrescente-se a este quadro de discussões e negociações a tensão entre empregados dos serviços públicos e o povo, que pode até chegar a algum nível de acerto no fim do mês. Os dias férteis se concentram entre 21 e 26, teremos novidades vindo por aí.

Mas, justamente no fim do mês, seguem-se os aspectos astrológicos mais duros, envolvendo Saturno, que é o astro das cobranças. O planeta colore os últimos oito ou sete dias com uma forte tendência ao refreamento, seja de consumo, de aplicações em crescimento econômico, movimentações nas Bolsas e também uma retração nas negociações em andamento. Sol e Netuno se desentendem no céu, adicionando uma pitada de fofocas e escândalos financeiros a serem descobertos.

Em meio a todo este cenário variável e incerto, que inclina a extremos de parte a parte, restam os lindos aspectos que o Sol forma com Urano --entre 6 e 10 --sinalizando abertura para o novo, incorporação de tecnologia de ponta, espetáculos de arte, música, esportes e maior movimento no turismo nacional graças a tais eventos. Também há outros momentos bonitos: entre 17 e 19, quando Vênus e Júpiter se encontram em Leão denotando algum triunfo na área de esportes para uma figura feminina brasileira, por exemplo. Mais adiante, Vênus e Urano se encontram, favorecendo o cinema, as artes visuais e uma ou outra novidade no campo da tecnologia que vem facilitar a vida de todo mundo, entre os dias 23 e 26.

O mês termina com o encerramento de um ciclo, um choque de realismo e a percepção de que existem limites impossíveis de ultrapassar para o Governo Federal.

Topo