Horóscopo

Céu de setembro de 2014 prevê dificuldades políticas no Brasil pré-eleições

Barbara Abramo

Do UOL, em São Paulo

O mês começa com uma importante data para o país. O dia sete de setembro tem sido utilizado para rastrearmos tendências no porvir do Brasil. Existem outros dias importantes a serem considerados mas, de modo geral, o céu do dia 7 de setembro de 1822 costuma “responder” bem a estudos.

Então, o Brasil completa mais um “aniversário” este mês e ele acontece em um clima astral de polarização, pois no dia seguinte acontece a Lua cheia, em Peixes, ativando debates entre governos federal e estaduais. Acrescente-se a isto o complicado aspecto entre Mercúrio e Plutão indicando pressões veladas ou claríssimas conversas e negociações difíceis.

Sobre o aniversário astrológico do Brasil, pode-se alinhavar ainda outras tendências. O próximo ciclo astral traz como ponto de expressão a Lua em contato desarmônico com Saturno, indicando a necessidade de peneirar sonhos pelo filtro da realidade nos próximos 12 meses. Com o ascendente em Câncer, os assuntos de destaque serão os serviços de atendimento à população. Lua e Saturno entram em aspecto delicado e também apontam um ano difícil para as mulheres e crianças, com prováveis perdas de figuras queridas da população ou algum evento que traz consternação geral ao longo do período --que vai de setembro de 2014 até setembro de 2015. Para equilibrar as tendências preocupantes, temos a força de Marte em Escorpião, favorecendo medidas difíceis, porém efetivas, e muita garra para virar o jogo. Vênus em Virgem aponta melhora na agricultura, pecuária e remédios vindos da natureza. Júpiter, que ainda envia raios positivos a Urano, traz chance de importação de tecnologia.

Voltando à dança dos planetas em setembro, está firme a tendência (apontada desde agosto último) de mais esforço por parte dos dirigentes do país no sentido de alinhavar apoios. Afinal, as eleições estão pertinho. Nos primeiros dias do mês, Sol e Plutão em aspecto poderoso indicam acordos e força conjunta em prol de objetivos comuns. Entre 10 e 12 de setembro, Mercúrio e Saturno agem em consonância e tornam concretas as promessas de acordos anteriores. Neste quadro vemos então um fortalecimento do poder de negociação do Governo Federal e do bloco de poder que o apoia.

Marte e Saturno transitam juntos o setor astral que representa o Governo Federal até dia 13 de setembro. Daí em diante, Marte passa a transitar o otimista e, inspirado em Sagitário, movimenta as Câmaras e o Senado. Saturno continua seu passinho lento por Escorpião, pressionando manifestações claras de quão relevantes são as iniciativas do Governo Federal (vale lembrar que Escorpião, no Brasil, sempre representa o Governo Federal e seus apoios imediatos, não importa quem esteja ocupando o cargo). Pelo andar dos planetas, o Governo Federal vai dar todo o gás possível em manifestações de poder, controle e recursos para governar; todos os três ingredientes ligados ao signo de Escorpião, inclusive.

Marte sinaliza contendas sobre assuntos econômicos por volta da entrada da primavera. Até lá, muitas conversas intermediárias vão deixar políticos desorientados.

Quando o Sol entrar em Libra, inaugurando a primavera na noite do dia 22, começa um ciclo novo, com Plutão --o astro das grandes corporações e do poder econômico-- entrando em movimento direto. Embora seja este um sinal de algo amplo, que extrapola o Brasil, dá para ver que interesses fortes entrarão em ação ao redor do mundo no campo financeiro e econômico, talvez com mais concentração de poder de multinacionais e aqui a chegada de grupos poderosos nos próximos meses.

E como não se vive só de política, a entrada do Sol em Libra aponta um período de florescimento cultural e artístico para o Brasil. Projetos conectados com educação artística nas escolas poderão ser votados nas Câmaras, bem como a liberação de verbas importantes para empreendimentos na área cultural e artística em geral. Produtos brasileiros terão maior expressividade no mundo no campo cultural. E algumas figuras femininas estarão expressivas até o fim de setembro (e isto não se manifestará apenas no âmbito da arte, mas também da política e dos esportes). Não é à toa que no próximo pleito eleitoral teremos duas mulheres competindo pelo cargo máximo do país. Como um sinal de reforço da tendência, Vênus entrará em Libra no dia 29 prometendo mais equilíbrio em todos os setores da vida, com a capacidade de negociação e conciliação mais efetivas, produzindo resultados confiáveis.

Dois aspectos astrológicos precisam ser mencionados também. O primeiro deles, poderoso, não acontece todo dia, e merece ser notado: o fluente aspecto de trígono entre o expansivo Júpiter e o inovador Urano. Dentre os inúmeros significados de expansão, destacam-se a tecnológica e cientifica, com grande aporte de recursos materiais e financeiros para desenvolvimento de tecnologias que mais tarde serão usadas por todos. Júpiter e Urano em ação conjunta denota também um curto e forte período de crescimento da indústria bélica – atualmente Urano transita Áries, o signo da guerra, infelizmente representa isto também. Entre os dias 23 e 30 de setembro, portanto, Júpiter e Urano atuarão juntos; voltam ao mesmo aspecto em dois momentos curtos do primeiro semestre de 2015.

O segundo fator astrológico de expressão também envolve Júpiter, mas com Saturno: ambos começam a se desentender no céu no fim de setembro, abrindo uma temporada difícil para a economia. Em geral, não apenas nacional. Mas, para o Brasil em especial, importantíssimo fator de desequilíbrio ocorre entre empresários, grupos econômicos poderosos, governo e categorias burocráticas. Além disso, podemos esperar uma guerra surda entre tendência ao consumo versus tendência à retração financeira.

No fim de setembro, Sol e Vênus começam a entrar em harmonia com Júpiter, anunciando um período de mais leveza e esperança. 

 

Topo