Horóscopo

Céu de dezembro de 2014: Sol e Netuno em harmonia trazem boas vibrações

Barbara Abramo

Do UOL, em São Paulo

Depois de um novembro cheio de novidades no setor público, político e econômico --sinais apontados pelo importante trânsito de vários planetas em Escorpião, que se reuniram a Saturno neste signo-- podemos esperar um dezembro mais arejado e expansivo.

As boas vibrações do Sol em Sagitário acentuam a busca por comportamentos éticos e sentidos mais claros de direcionamento da vida coletiva. Senado e Câmaras terão papel mais importante no jogo político, especialmente entre os dias 2 e 6 de dezembro. Novidades e mudanças inesperadas estão nos horizontes. Judiciário será um setor premiado na primeira quinzena.

A primeira semana traz planos, esperanças, desafogo e liberalidade. O turismo interno ganha destaque e o Brasil também começa a atrair mais investidores. Novidades no setor das telecomunicações, viário e outros meios de transportes serão notícia --e é possível que vejamos a entrada de companhias internacionais no setor de comunicações.

A Lua cheia que ocorre no dia 6, em Gêmeos, destaca a movimentação dos setores de oposição ao Governo Federal, que estarão ativos até a entrada do Sol em Capricórnio, que ocorrerá no dia 21. Neste dia também haverá a Lua nova neste signo, abrindo a temporada de atenção para as populações marginalizadas do país, bem como ao sistema prisional, que deve ser foco de mais notícias e debates.

No pano de fundo astral, Urano e Plutão em guerra no céu durante a primeira quinzena acentuam as contradições entre controle absoluto e fragmentação do poder. E por falar em Urano, seu simbolismo fragmentador, impulsivo e irruptivo estará toda a partir da terceira semana, quando volta a transitar direto em Áries, um signo de impetuosidade e belicosidade. É bastante provável que Urano em Áries represente não somente o uso de tecnologias para fomentar guerras e conflitos, como também a irrupção de inúmeros grupos independentes e autônomos jogando na cena política internacional --e nacional também, claro. Urano e Plutão têm muito a ver com disputas de poder (grupos rebeldes versus estados nacionais, como se tem visto nos países do Oriente Médio ultimamente).

Urano volta a se movimentar direto, mas Júpiter (que expandiu lideranças executivas desde que entrou em Leão), começará a retrogradar a partir de 8 de dezembro, dia repleto de simbolismo nacional. Com a retrogradação de Júpiter, acordos internacionais de qualquer natureza podem ficar em compasso de espera até abril de 2015, período em que o astro da prosperidade voltará a recuperar movimento direto. Sem a retrogradação de Júpiter, poderíamos esperar um período de continua expansão de viagens para o exterior, por parte da população de menor renda, maior quantidade e impacto de investimentos financeiros e de insumos produtivos por parte do capital estrangeiro, etc.

A outra novidade é Saturno, que sai de Escorpião no dia 23, rumando para Sagitário. A mudança de signo significa novos conjuntos de prioridades assomando na cena coletiva. Das finanças, passa-se a ética, justiça, capacidade de ordenar as leis e as regras que tornam o direito algo palpável. Sagitário é signo de diplomacia internacional, de turismo idem. Podem haver restrições e remanejamento de prioridades por todo o período que o astro transitar por Sagitário; ou seja, até dezembro de 2017.

Para efeitos de Brasil, o longo trânsito de Saturno por Sagitário acentua a acomodação das medidas econômicas e financeiras que foram tomadas durante a fase anterior (quando o planeta transitou Escorpião). Como ele voltará a este signo entre junho a setembro de 2015, é certo que aperfeiçoamentos na área econômica e financeira serão feitos pelo Governo Federal.

No fim de dezembro, podemos esperar distúrbios elétricos e problemas na aviação e transportes, com Mercúrio e Urano em aspecto difícil nos dias 24 e 25. Finalmente em  dezembro também terminam sob as vibrações mais suaves de Sol e Netuno em harmonia, inspirando atitudes mais bondosas, manifestações culturais, musicais e um forte sentido poético e religioso no ar.

Topo