Horóscopo

Céu de setembro de 2015: Sol expõe tudo o que ia para debaixo do tapete

Getty Images

Barbara Abramo

Do UOL, em São Paulo

O Brasil faz aniversário em setembro, um mês que traz dois eclipses (um deles ativando pontos delicados do mapa de nosso país), a entrada definitiva do realista Saturno no justo signo de Sagitário e a oposição entre o expansivo e otimista Júpiter e o ardiloso Netuno.

O mês se inicia com o Sol clareando ilusões e expondo tudo o que estava sendo levado para debaixo do pano. Sol e Júpiter em Virgem enfatizam a importância da agricultura, e da pecuária, bem como dos contratos comerciais com outros países, que podem ser firmados na primeira quinzena --o que será muito bom para a economia brasileira. Nesta fase, podemos esperar também a divulgação de alguns problemas financeiros escusos ligados a aparatos públicos do setor da saúde --afinal, o Sol revelará muita coisa que anda escondida ainda!

A segunda semana chega com Vênus retomando seu movimento direto em Leão, que movimenta as relações diplomáticas, de modo também favorável ao país.  Vênus e Mercúrio formam feliz aspecto para acordos e tratativas entre os dias 12 e 16.

Também na segunda semana é comemorada a independência do Brasil. Calculado para 7 de setembro de 2015, o mapa revela um tom geral para os nossos próximos 12 meses. E embora a interpretação mereça mais do que um parágrafo, os pontos importantes podem ser apontados aqui.  Há destaque para posturas aguerridas do governo, no sentido de se firmar o leme do comando do país. Netuno e Júpiter em oposição mostram tendências conflitantes sobre rumos a serem tomados, bem como escândalos envolvendo instituições ligadas a justiça e diplomacia. A tensão entre Lua e Plutão fala de jogos de poder envolvendo políticos e mulheres na política, com eventos mais ou menos dramáticos. Tudo isso no decorrer de um ano a contar de setembro de 2015 até o próximo.   

Marte e Urano em ótimo aspecto falam de tecnologia, inovações e avanços que serão postos a serviço da população. Sol e Plutão em trígono ficam em sintonia nesse mapa, levando para o resto do ano astral a perspectiva de mais esclarecimentos e limpezas necessárias. Câmaras e Senado verão o surgimento de uma liderança mais segura para levar adiante esse processo todo, e será alguém novo que ainda não se destacou.

Voltando ao cenário astral do mês, temos um eclipse solar parcial em 20º Virgem. Ele também ativa um ponto importante do mapa do Brasil e indica reviravoltas nas regras bancárias, problemas de comunicação, crises nos setores viários e médico e possível retorno a procedimentos ou decisões anteriores. Além disso, Mercúrio passa a retrogradar em Libra no dia 17, sinal claro de um período de regressão e revisões nas decisões, tanto no Legislativo quanto no Executivo. Essa posição de Mercúrio e, também, o eclipse solar em Virgem refletem problemas nos ajustes fiscais, nas regras de aposentadoria e enxugamento da máquina administrativa.

No mesmo dia 17, Saturno entra definitivamente em Sagitário. O astro que simboliza os cortes e as posturas realistas, assim como respeito aos limites, irá brecar ainda mais os gastos da população, tirando as ilusões de consumo. Pode ser bom momento para revisões do que é essencial na vida de todo mundo. Saturno ficará em Sagitário por vários meses --só sai em dezembro de 2017. Pode haver um enxugamento nos serviços públicos e, sem dúvida, maior amadurecimento geral.

Na terceira semana, o Sol entra em Libra trazendo uma primavera de clima mais temperado, com sucesso para a moda, educação e competições científicas e tecnológicas em que o Brasil poderá se destacar --o que não é pouca coisa num período de tantas tensões e dificuldades.

Também na terceira semana temos Marte entrando em Virgem, que promete agitar as finanças do Brasil com novas análises e prováveis correções de rota. Já Plutão retoma movimento direto, liberando mais assuntos que estavam escondidos debaixo do tapete.

No fim do mês, Marte e Saturno formam aspecto tenso, indicando confrontos ao governo federal entre 25 e 26, dias que serão delicados e difíceis para o poder público.

Um eclipse lunar em Áries, no dia 27, ativa as riquezas do subsolo e pode trazer novidades sobre os problemas que envolvem a Petrobras e outras empresas nacionais ligadas à extração de recursos do subsolo.

Topo