Horóscopo

Céu de novembro de 2015: período de revisões na política e na economia

Thinkstock

Barbara Abramo

Do UOL, em São Paulo

Um dos meses mais importantes para o país, do ponto de vista astrológico, novembro começa sob a vibração das reflexões. A Lua minguante em Leão, no dia 3, traz à tona a necessidade de rediscutir o que é o poder e quem o exerce, bem como questões relacionadas à sua administração e organização. O Sol em Escorpião brilha no alto do Brasil, com sua característica intensa, transformadora e inquieta, adicionando ainda mais movimento e questionamento a esse período. Mercúrio, o astro da comunicação e do diálogo, ativa também a cena astral, movendo-se em Escorpião, onde reforça, no dia 6, o sonho de um país melhor.

Assim é que, desde o início do mês, já vemos a vontade ou a aspiração geral de mudanças profundas, estabelecidas com seriedade, responsabilidade e compromisso de todos.

A lunação do dia 10 acontece em um ponto estratégico do mapa astral do Brasil, o que significa a possibilidade de um recomeço, em bases transformadas, porque esse é o signo que movimenta as transformações, especialmente as coletivas. E, para inspirar ainda mais, Sol e Júpiter em ótimo aspecto trazem esperanças, enquanto Mercúrio se harmoniza com Plutão no dia 10 --sinal de negociações e muito diálogo envolvendo poderosas forças e blocos políticos-- bem como sinaliza, em um campo econômico, possíveis leis e regras que irão alterar o comércio interno.

O astro do combate e da luta pela vida adentra o diplomático signo de Libra no dia 12. A partir daí as negociações internacionais e internas tomam mais atenção, estando mais ativas e em primeiro plano. Mercúrio e Júpiter inspiram mestres, professores e alunos a chegarem a entendimentos sobre educação, ensino e reformas educacionais, enquanto Vênus e Saturno trazem consciência e senso de disciplina nos gastos públicos e privados, na mesma época. Marte em Libra pode trazer certo atraso e hesitação nas decisões, configurando um período de revisões e discussões bastante intenso na política e na economia nacionais.

Saturno, o astro das limitações e das cobranças, estará em plena atividade no controle dos gastos da população, que poderá se sentir tolhida e desanimada. A administração do dinheiro exigirá mais controle e consciência de todos. Mas principalmente Saturno afetará a percepção mais ou menos vaga de um futuro melhor, de abundância e facilidades, sonho que movimenta a população brasileira. Portanto, para quem não prevê nem se organiza, e imagina que estamos num paraíso de abundância, a vida pode mesmo ficar difícil neste mês.

Além de constranger os perdulários, Saturno também colocará rédea curta no governo constituído e nas oposições a ele, apontando a criação ou efetivação, por meio de leis, cobranças e reformas hierárquicas, de demandas e controles mais rígidos. A oposição de Saturno à Lua do Brasil indica, também, o fim de alguma liderança popular muito amada, seja em que campo for da vida nacional.

É no dia 19, com a Lua crescente em Aquário, que a cena astral coloca o povo brasileiro no controle do jogo de novo: movimentos, demandas e reivindicações da sociedade civil organizada (ou nem tanto) terão mais impacto na cena política. O reforço para essa condição vem de Vênus e Plutão, em guerra no céu. Ambos anunciam descompasso financeiro atrapalhando empresas multinacionais e também os investidores, e a conclusão pode ser ruim para a comercialização de produtos nacionais, riquezas do subsolo etc.

O Sol entra em Sagitário no dia 22, atraindo as atenções para as relações diplomáticas, os assuntos de fronteira, a participação do Brasil em atritos internacionais e a receptividade a grupos imigrantes.

Por falar em imigração, o atual movimento de imigração internacional é dos mais intensos da história recente e, com Saturno e Netuno em quadratura até o fim do ano, poderá haver mais problemas dramáticos com fronteiras (um assunto saturnino por excelência).

O período turbulento para a população vai de 22 a 30 do mês, quando diversos aspectos astrológicos tensionam as vias de acesso às cidades, indicam debates e discussões agressivas e algum escândalo (mais um) financeiro envolvendo gente das altas esferas. São situações que a Lua cheia em Gêmeos, no dia 25, acirra ainda mais, despertando o sentimento popular em confronto com as limitações da realidade, representada por Saturno em Sagitário.

Os dias de compromisso social e que podem trazer estabilidade vão de 28 de novembro a 1 de dezembro. O que quer que tenha sido discutido, criado ou defendido até lá será aceito ou rejeitado nesses dias, trazendo a conclusão de um processo geral.O mês termina então sob a vibração do realismo e da percepção de limites, trazendo um presentinho de Mercúrio e Urano na forma de invenções ou descobertas científicas e demais facilidades que tendem a melhorar o dia a dia da população, assim como aliviar o tráfego das grandes cidades brasileiras.

Topo