Vídeos

Calculadora ou com voz do Silvio Santos: 10 relógios que já foram febre

Do UOL, em São Paulo

Muito mais do que para ver as horas, o relógio se tornou um item de ostentação. O tamanho do tambor e o material do visor são características valorizadas em um bom acessório. Porém, no comércio popular, este tipo de coisa não tem muita importância. Para um apetrecho fazer sucesso, ele precisa apenas cair no gosto do "povão". Relógio com a voz do Silvio Santos, com calculadora acoplada e que muda de pulseira são apenas alguns dos itens que já conquistaram o Brasil. Relembre 10 modelos que já foram febre: 

  • Reprodução/Twitter

    Relógio do Baú da Felicidade

    Este relógio era "brinde" da empresa do Silvio Santos no começo dos anos 2000. Na realidade, o modelo foi criado para ajudar usuários cegos, mas o Patrão deu uma "personalizada" nele e o transformou em item de desejo. Tudo porque, quando você apertava um botão, era a voz do seu Silvio quem te dizia as horas. Imagina que sonho?

    Imagem: Reprodução/Twitter

  • Divulgação

    Relógio-calculadora

    Quer ver os horários e ter todas as operações matemáticas bem ali no seu pulso? O relógio-calculadora surgiu nos anos 80 para solucionar os seus problemas-- que a gente nem sabia que realmente existiam. O modelo ganhou versões mais modernas e sofisticadas que perduram até hoje.

    Imagem: Divulgação

  • Reprodução/Twitter

    Anel em formato de relógio

    Não é um relógio de pulso, mas continua servindo para ver as horas. Isso para quem tem uma vista muito boa, já que o visor é pequenininho. Isso sem falar na "pulseira" de elástico que deixa os dedos marcados.

    Imagem: Reprodução/Twitter

  • Divulgação

    Baby-G

    O trambolho colorido e volumoso era o favorito dos adolescentes dos anos 2000. O relógio tinha visor digital, tambor de plástico e pulseira de elástico. Depois de uma aula de educação física, ele já ficava todo encardido.

    Imagem: Divulgação

  • Divulgação

    Relógio dourado com brilho

    Quanto maior, mais dourado e com maior quantidade de brilho, melhor. Alguns podem torcer o nariz, mas o relógio "ostentação" ainda é um sucesso no comércio popular. As versões mais sofisticadas também têm suas adeptas entre os abastados. Cuidado para não queimar a retina de ninguém com tanto brilho.

    Imagem: Divulgação

  • Divulgação

    Relógio digital "moderninho"

    Quem tinha dificuldade de entender os ponteiros das horas comemorou quando foi lançado o relógio digital. O modelo ao lado foi um grande sucesso dos anos 70 até a década de 90. Todo mundo se sentia moderninho quando usava o item "super tecnológico".

    Imagem: Divulgação

  • Divulgação

    Relógio musical

    Toda criança dos anos 90 e começo dos anos 2000 teve ou quis muito um relógio musical. O acessório vinha com uma tampa de algum personagem infantil que, ao ser aberta, tocava uma música um tanto irritante. E aí para fazer a criançada parar de ficar abrindo aquilo?

    Imagem: Divulgação

  • Divulgação

    Relógio-bracelete

    Quando se tornou um acessório de moda, o relógio começou a ganhar pulseiras diferenciadas como a em versão bracelete. Era perfeito para quem queria usar o item sem abrir mão de uma biju estilosa.

    Imagem: Divulgação

  • Divulgação

    Relógio que muda de pulseira

    Com este modelo, todo dia você podia sair com um relógio novo. Quer dizer, quase novo. Marcas lançaram itens desmontáveis em que as pulseiras podiam ser trocadas. Além do relógio, vinha na embalagens mais algumas opções de acessórios coloridos. Isto conquistou adolescentes e jovens adultos.

    Imagem: Divulgação

  • Divulgação

    Relógio "bate enrola"

    A pulseira mais durinha que enrola no pulso ainda é hit entre as crianças e pré-adolescentes. Elas são super coloridas e fáceis de colocar, mas não garantem muita segurança e é fácil perder o acessório por aí.

    Imagem: Divulgação

Topo