Moda

Mulheres que aboliram o sutiã se sentem mais livres e confortáveis

Julia Guglielmetti

Do UOL, em São Paulo

Enquanto algumas mulheres não conseguem viver sem sutiã e até dormem com a peça, outras não se adaptam bem aos aros e bojos. Veja os relatos de mulheres que, apesar da pressão social para esconderem os mamilos, conseguiram abandonar o sutiã e viver com mais liberdade.

  • Marco Maia/Arquivo pessoal

    Aceitação do meu corpo

    "Parei de usar sutiã como uma forma de aceitação do meu corpo. Eu não sabia comprar, é caro, aperta, sua muito, é bem desagradável. Hoje eu não tenho nenhum. Tem bastante gente dizendo que sou muito corajosa e meio louca. O que não faz sentido. Pra mim é muito mais normal, certo e interessante para a mulher. Infelizmente o assédio é grande, existe essa relação [incorreta] de ser 'safadinha' ou 'muito solta'. Eu fazia uma série adolescente no Youtube, teve um episódio em que estou com uma blusa que dá pra perceber que estou sem sutiã e foi um bafafá. Comentavam coisas do tipo 'vamos fazer uma vaquinha para dar um sutiã de presente pra ela'", Marina Massaneiro, 24, atriz.

    Imagem: Marco Maia/Arquivo pessoal

  • Arquivo pessoal

    Conforto e empoderamento é tudo

    "Tenho displasia mamária e muitos nódulos nos seios desde os 18 anos. Não é nada sério e não preciso tirar, mas eles calcificaram e dói bastante quando uso sutiã com bojo e aro. Além do mais, o sutiã modifica o formato natural do peito e sem é muito mais bonito. Acho que todas as mulheres deveriam parar de usar. Conforto e empoderamento é tudo!", Nalini Castro, 27, gerente de produção de joias.

    Imagem: Arquivo pessoal

  • Arquivo pessoal

    Nunca me adaptei

    "Eu nunca me adaptei muito bem ao sutiã, sempre achei incômodo e desnecessário. Mas como a gente cresce com o ensinamento de que tem que usar, aguentei até uns três anos atrás. Tinha um pouco de receio da opinião dos outros, então fui trocando os modelos, do bojo, para o sem bojo, depois apostei no sem armação e agora é muito raro quando uso. Eu vestia número 42 ou 44, ou seja, meus seios não são dos menores e não sinto dor alguma sem. Acredito que temos que mudar muita coisa em relação ao tipo de educação que recebemos. Não é certo que uma mulher deixe de fazer algo que gosta ou tenha que usar uma peça que não gosta por causa dos outros", Beatriz Soares, 24, analista de produção.

    Imagem: Arquivo pessoal

  • Arquivo pessoal

    Só com o namorado

    "Eu não gosto de nada me apertando. Por isso só uso sutiã quando estou com uma blusa transparente. Meu namorado é apaixonado por lingerie e me dá muitas de presente. Eu uso nos momentos especiais, mas não no dia a dia. Quando a gente sai, jantar ou cinema, eu não uso. Mas coloco quando chego em casa. Namoramos há 11 anos e até nossos amigos sabem o quanto ele gosta de lingerie", Thayane Andrade, 27, empresária.

    Imagem: Arquivo pessoal

  • Arquivo pessoal

    Liberdade feminina

    "Detesto sutiã com bojo, sinto como se meus seios estivessem enjaulados. Gosto de senti-los organizados dentro da roupa e para isso não é preciso uma capa. Não gosto de ter que esconder meus mamilos. Sabe quando ficam arrepiados? Não tenho vergonha alguma desse momento. Sou mais a minha liberdade feminina. Uma vez ouvi um homem falar bem baixinho: 'vai colocar sutiã, sua piranha!'. Comecei a xingar e ele seguiu reto como se nada tivesse acontecendo", Monica Regatto, 37, consultora de imagem.

    Imagem: Arquivo pessoal

Topo