Moda

Saia masculina é peça histórica, mas causa estranheza nas ruas

Julia Guglielmetti

Do UOL, em São Paulo

No Brasil, um homem de saia ainda pode gerar estranheza e curiosidade, afinal trata-se de uma peça considerada por muita gente como parte do vestuário feminino. Só que a história não é bem assim. As saias foram usadas por homens da Antiguidade até a Revolução Industrial. Apesar de terem outros nomes, elas eram comuns no Antigo Egito, foram usadas pelos gladiadores de Roma e pelos samurais do Japão. E até hoje fazem parte da indumentária tradicional dos escoceses, que usam o kilt.

Levamos o estilista Renan Serrano para as ruas do centro de São Paulo. De saia, ele atraiu olhares curiosos e comentários dos diversos tipos, apoiando ou reprovando o visual. O experimento concluiu que o brasileiro ainda não está acostumado com uma moda sem gêneros mas, aos poucos, tem aberto a cabeça para a liberdade do vestir.


As saias são opções confortáveis que permitem um movimento livre do caminhar e deixa o corpo mais solto. Também servem para variar o vestuário masculino e acrescentar muito estilo ao visual. Abaixo, homens que usam saias contam seus motivos e experiências.

Eles usam saia e apostam em produções estilosas

  • Lucas Lima/UOL

    Sem generalização

    O estilista Renan Serrano, 27, é o personagem do vídeo acima. Além de fabricar e vender saias na sua marca Trendt, ele usa a peça sem associá-la ao vestuário feminino. "Quando você usa um visual muito impactante, as pessoas associam elementos históricos da moda para julgar e pré-definir sua personalidade. Nesse novo modo de vestir, eu gero neutralidade com um visual sem precedentes, o que faz com que as pessoas queiram se aproximar e saber quem sou. Tomo cuidado para respeitar o espaço visual das pessoas, usando uma roupa neutra que, com alguns detalhes de inovação, influencia o inconsciente e mostra novas formas de pensar."

    Imagem: Lucas Lima/UOL

  • Arquivo pessoal

    Contestador

    "A primeira vez em que usei saia foi durante uma aula de sociologia. A professora pediu para irmos à faculdade com uma roupa que jamais usaríamos e eu escolhi a saia. Me senti muito desconfortável e observado pelos outros", lembra Augusto Paz, 24, analista de marketing. "Quero chamar a atenção para algumas discussões sobre o que é roupa de homem e o que é roupa de mulher", diz. Ele nunca sofreu agressões físicas, mas sempre ouve piadinhas e já aconteceu até de tentarem tirar foto por baixo da saia dele. "Usei muito saia em Berlim e lá ninguém liga. Mas aqui vira um circo."

    Imagem: Arquivo pessoal

  • Arquivo pessoal

    Para todos

    "Nunca fiz distinção sobre o que é de homem ou de mulher. Se me cai bem, eu uso", comenta Murilo Yamanaka, 27, fotógrafo. "Além de a saia ser mais confortável, os homens têm muito menos opções de roupas do que as mulheres e acho que isso deve mudar." O fotógrafo ainda dá dicas para os marmanjos que querem apostar no visual: é só equilibrar as proporções. Se a saia é longa, a peça de cima deve ser mais curta, mas se ela for menor, pode harmonizar com uma camisa ou camiseta mais comprida. Usar todas as peças pretas, em um look monocromático escuro, é uma dica para sempre acertar no visual masculino com saia.

    Imagem: Arquivo pessoal

  • Arquivo pessoal

    Até na igreja

    "Uso saia em qualquer ocasião, desde sair para comer feijoada até para ir à igreja", diz Evilásio Miranda, 32, consultor de negócios de moda, que frequenta uma igreja evangélica mais alternativa do que as tradicionais. "Sinto que os olhares são menos de julgamento e mais de curiosidade, o que dá a sensação de estar trazendo algo novo pro dia a dia das pessoas". Ele ainda conta que dá aula para crianças de 6 a 8 anos na igreja e que elas brincam com o fato de o professor usar saia, mas sempre de uma maneira leve, tentando entender melhor o que isso significa.

    Imagem: Arquivo pessoal

  • Divulgação/Agência Fotosite

    Ato de coragem

    O estilista Igor Dadona, 27, não usa saia, mas cria modelos masculinos e revela ser seu maior sucesso de vendas. "Apesar de achar lindo ver outros caras usando, eu nunca usei. Já experimentei e não ficou bom, acho que não combina comigo. Mas sinto que os homens estão cada vez mais abertos. Não vendo somente para o público gay, muitos héteros já compraram minhas saias, principalmente pelo conforto. As pernas ficam mais livres, tudo fica mais solto, sem nada pegando. Tem a ver com coragem e querer provar que todos podem usar o que quiserem". Na imagem ao lado, look do desfile de Inverno 2016 da marca Igor Dadona.

    Imagem: Divulgação/Agência Fotosite

Topo