Moda

Alta-costura primavera-verão: preto e branco caligráfico "chez" Gaultier

PARIS, 28 Jan 2009 (AFP) - Inès de la Fressange, usando um pretinho longo, reencontrou nesta quarta-feira (28) sua posição de top model nas passarelas parisienses, durante o desfile assinado por Jean Paul Gaultier, que se apresentou sob o signo da caligrafia.

FOTOS: Veja os looks de alta-costura de Jean Paul Gaultier para o Verão 2009

Reuters

Reuters

O branco e o preto foram destaque da coleção de alta-costura de Jean Paul Gaultier, apresentada em Paris



No último dia de apresentação das coleções de verão, o estilista deu o tom de surpresa, fazendo desfilar a top model, radiante aos 50 anos, cuja presença nas passarelas em nada perdeu de seu charme. A manequim dos anos 80 apresentou dois modelos, tendo sido aplaudida com entusiasmo em cada passagem.

Inès de la Fressange é nossa, justificou-se Jean Paul Gaultier, lembrando que a ex-Chanel havia sido modelo dele aos 16 anos.

Quanto à presença na passarela da cantora Helena Noguerra, que também desfilou para ele com suas formas mais generosas, "foi para mostrar que há algo mais além das manequins de 14 anos filiformes, anoréxicas", explicou.

O gosto de Jean Paul Gaultier pela caligrafia se traduziu por uma coleção em preto e branco, rica em rendas, trabalhos em filés e bordados negros, a serviço de uma sensualidade sem complexos.

Uma janela de rede negra bordada em espiral se abre, por exemplo, sobre uma saia. As pantalonas do tipo toureiro se feminizam com trabalhos em filés e rendas.

A silhueta lembra os anos 80, com ombros bem marcados, às vezes alongados. Vestidos pretos com gola tipo smoking, conjuntos de pantalona de smoking aparecem em homenagem a Yves Saint Laurent, falecido em junho, que inventou o smoking para as mulheres. "Sempre fiz smokings da minha maneira", declarou Jean Paul Gaultier, mas Yves Saint Laurent "era um dos meus grandes mestres, que eu admirava profundamente".

A coleção foi bem aplaudida, principalmente pelas atrizes Catherine Deneuve, Arielle Dombasle e Lou Doillon e pela cantora Kylie Minogue.

O preto e branco também esteve presente "chez" Franck Sorbier: o estilista apresentou sob a forma de filme em preto e branco uma coleção intitulada "A alta-costura não é mais o que já foi. So what ?!" (e então ?!).

Olivier Cavellat põe em cena uma jovem mulher, com uma sucessão de nomes de ruas parisienses que Franck Sorbier aprecia particularmente, como rua do Chat-qui-pêche, rua Rosa Bonheur ou des Mauvais Garçons.

O humor está presente na rua Eugène Poubelle: uma saia tipo sereia em "georgette" de seda preta é acompanhada de sacos plásticos comprimidos de shoppings; um bustiê foi confeccionado a partir de um modelo da revista "Le Petit Echo de la Mode", no qual os pratos de um cardápio são bordados num paletó preto.

No encerramento do desfile, Ray Ventura canta: "Tout va très bien, Madame la marquise..." ("Tudo vai muito bem, Madame la Marquise", numa tradução literal).
Topo