Moda

Semana de moda de Londres celebra seus 25 anos enfrentando a crise

LONDRES - Desfiles menos extravagantes, festas mais modestas e menos champanhe: a Semana de Moda de Londres, que completa 25 anos, teve início nesta sexta-feira sob o impacto da crise, que obrigou alguns criadores a apresentar suas coleções outono-inverno 2009 em manequins de plástico.

A festa da moda londrina, cidade que conta boa parte da história da moda e estilo mundial, acontece depois da semana de Nova York e um pouco antes das de Milão e Paris -duas capitais da Alta Costura-, e começou com os desfiles de Paul Costelloe e Caroline Charles, dois dos estilistas britânicos mais estabelecidos, que apresentaram criações marcadas por cores outonais como ocre, marrom-dourado e telha.

Outros estilistas não puderam apresentar este ano suas coleções nas passarelas de Londres -que nessa edição vão contar com cerca de 5.000 compradores, jornalistas e celebridades- graças à recessão, que no setor de moda atinge principalmente o Prêt-à-Porter, livrando a Alta Costura.

"O custo de um desfile, que dura cerca de dez minutos, pode oscilar entre 25.000 a 40.000 libras no mínimo (36.000 a 58.000 dólares, 28.000 a 45.000 euros,)", disse o estilista Duro Olowu ao jornal britânico Daily Telegraph.
Topo