Moda

Desfiles de alta-costura cumprem sua missão, a de fazer sonhar...

A alta-costura tomou posse de Paris, cumprindo uma de suas missões: a de fazer sonhar, como a Casa Dior, que criou um verdadeiro jardim de mulheres-flores no primeiro dia dos desfiles, e com Armani e Givenchy prodigalizando, na terça (06), luxo, elegância e voluptuosidade.

  • Reuters

    No desfile da Chanel, o modelo francês Baptiste Giabiconi usa fantasia de leão (06/07/2010)

O estilista Karl Lagerfeld, diretor artístico da Chanel, apresentou à noite uma coleção concentrada em suntuosos vestidos curtos, cobertos com jaqueta curta ou bolero, em desfile celebrado aos pés de um imenso leão dourado que se erguia sob a cúpula de vidro do Grand Palais.

O estilista explicou que o gigantesco leão era uma reprodução de um pequeno bronze no apartamento da fundadora da casa, "Coco" Chanel.

"Nem um único vestido longo, nenhum vestido preto. Para a Chanel, isso é muito novo", disse Lagerfeld após o desfile, no qual os vestidos de noite lançavam faíscas, sugerindo magia.

  • Reuters

    Modelo apresenta vestido de noiva no encerramento do desfile de Stéphane Rolland em Paris (06/07/2010)

Antes da Chanel, Stéphane Rolland apresentou no Teatro de Chaillot um desfile deslumbrante com toques espaciais e marítimos, que terminou com um vestido de noiva moderno, cuja cauda quilométrica em pesado cetim branco remeteu a casamentos palacianos.

"A Alta-Costura evoca a perfeição", disse Stephane Rolland, que apresentou nesta terça-feira, no Teatro de Chaillot, um deslumbrante desfile com toques espaciais e marinhos, concluindo com um vestido de noiva de corte moderno e cauda quilométrica.

Conjuntos assimétricos em seda e musselina, sobre leggings bordados com pedrarias, acompanhados de capas e túnicas flutuantes - a silhueta proposta por Stephane Rolland foi luxuosa e sofisticada, mas também leve, quase fácil de usar.

"Um vestido de Alta-Costura é único, desperta emoções", afirmou à AFP o estilista Franck Sorbier, membro "oficial" do grupo fechado que apresentará sua coleção nesta quarta-feira na Casa Sotheby's.

"Cada proposta de Alta-Costura desprende poesia e magia", acrescentou.

  • AFP

    Modelo desfila para a Giorgio Armani Privé na semana da alta-costura de Paris (06/07/2010)

A casa italiana Giorgio Armani apresentou nesta terça 43 modelos para o próximo outono e inverno europeus de sua linha Armani Privé, onde primou a discreção e a elegância urbana, declinada em tons de âmbar, cinzento, tabaco, branco.

Casacos de cashmere estavam lado a lado com vestidos de coquetel em tecidos suaves e de baile, em cetim e seda, que transformavam a mulher Armani em sereia.

Lefranc Ferrant, por sua vez, apresentou no Palácio de Tokio coleção inspirada nas obras de arte e na arquitetura.

Givenchy, um dos membros oficiais da Câmara Sindical de Alta-Costura, disse adeus às passarelas, optando por apresentar sua coleção num salão privado da praça Vendôme.

Propôs dez vestidos nas cores branca, rosa e ouro. Um dos modelos dourados precisou 1.200 horas de trabalho manual.

Os desfiles de Alta-Costura, que começaram segunda-feira, prosseguem nesta quarta-feira (07), com as coleções para o outono-inverno 2010 de Jean Paul Gautier, Sorbier e Valentino, entre outros.

Na quinta-feira (08), será a vez das apresentações da denominada "alta joalheria" - com peças assinadas por joalheiros famosos -, um setor extremamente golpeado pela crise que espera recuperar-se graças a fortunas de países emergentes, como a China.

Topo