Moda

John Galliano confessa 'vício triplo' em tribunal francês

AP Photo/Thibault Camus
John Galliano chega ao tribunal em Paris onde acontece seu julgamento por acusações de antissemitismo (22/06/2011) imagem: AP Photo/Thibault Camus

PARÍS, França, 22 Jun 2011 (AFP) -O estilista britânico John Galliano confessou, nesta quarta-feira diante de um tribunal francês, que sofre de um "vício triplo" em álcool, soníferos e valium, durante o julgamento realizado contra ele por insultos antissemitas e racistas proferidos em um bar parisiense, constataram jornalistas da AFP.

Galliano é acusado de "injúrias públicas contra particulares por sua origem, pertinência ou não pertinência a uma religião, raça ou etnia, proferidas contra três vítimas identificadas" e pelas quais poder ser condenado a até seis meses de prisão e pagar uma multa de 22,5 mil euros.

No dia 24 de fevereiro, um casal denunciou o estilista por insultos antissemitas e racistas na calçada do bar "La Perle", no bairro do Marais, em Paris. Depois, outra mulher o acusou alegando ter sido agredida de maneira similar em outubro do ano passado nesse mesmo bar da capital francesa, perto de onde mora o designer.

A marca Christian Dior, que em um princípio suspendeu Galliano de suas funções como diretor artístico, iniciou os trâmites de sua demissão assim que o jornal britânico "The Sun" divulgou um vídeo no qual o estilista, totalmente alcoolizado, dizia "adorar Hitler" e elogiava suas práticas nazistas.

Um mês e meio depois, Galliano foi demitido também da marca que leva seu nome, controlada 91% pela Christian Dior. Na época do incidente, o estilista negou as acusações, mas divulgou comunicado pedindo desculpas sobre seus comentários. "Nego totalmente as acusações contra mim e cooperarei plenamente com a investigação da polícia", declarou o estilista, acrescentando: "Antissemitismo e racismo não têm lugar em nossa sociedade. Eu peço desculpas pelo meu comportamento se causei alguma ofensa".

Topo