Moda

Versace compromete-se a não mais usar processo nocivo de preparo do jeans

Gerry Penny/AFP
Donatella Versace em festa na Inglaterra (7/2/2011) imagem: Gerry Penny/AFP

MILAN, Itália, 21 Jul 2011 (AFP) -A Casa Versace comprometeu-se a não mais utilizar a areação, um processo de tratamento do jeans, que consiste em esfregar o tecido com areia - uma técnica que se revelou potencialmente mortal para os assalariados. O grupo de luxo italiano sensibilizou-se com uma campanha da aliança "Clean Clothes Campaign" (CCC).

A areação consiste em projetar areia sob alta pressão nos jeans, numa espécie de lavagem industrial, para dar um aspecto gasto; é considerada perigosa e já vitimou trabalhadores na Turquia e em Bangladesh, segundo a CCC.

A inalação de poeira de silício liberada durante o processo pode causar silicose, uma infecção pulmonar potencialmente mortal.

"A Casa Versace decidiu, assim, unir-se aos líderes do setor que defendem a eliminação dessa técnica", informou o grupo em comunicado.

O apoio dado à campanha do CCC, um grupo de ONGs e sindicatos que lutam pela melhoria das condições de trabalho na indústria têxtil, acontece depois da assinatura por 1.200 pessoas de uma petição contra essa prática.

"Versace proibiu os jeans assassinos, unindo-se aos grupos Gucci, H&M ou C&A', felicitou-se o CCC, denunciando outros grandes nomes da moda, como Dolce & Gabbana, Armani e Roberto Cavalli que se recusam a manter contato conosco", comentou Deborah Lucchetti.

Topo