Moda

Carolina Herrera traz calma e elegância para a Semana de Moda em Nova York

NOVA YORK, 13 Set 2011 (AFP) -Após as cores vibrantes da Custo Barcelona e a arte pop de Tommy Hilfiger, Carolina Herrera trouxe na segunda-feira um toque de calma e elegância para a Semana de Moda de Nova York, onde mais de 250 estilistas apresentam suas coleções de primavera-verão 2012.

Herrera, eterna favorita das divas de Hollywood, propõe para a próxima temporada silhuetas simples, modelagens fluidas e ombros à mostra.

Para o dia, a mulher de Herrera usa shorts brancos de modelagem ampla, quase saias, vestidos com estampas de aves em verde claro e amarelo-canário ou vermelho-telha e cinza. Os tons cítricos e vibrantes apareceram também em saias e lenços, enquanto pequenos bolsos redondos e estruturados completavam o look.

Para a noite, Herrera mostrou vestidos ajustados sem mangas ou tomara que caia, em um luxuoso prateado, amarelo cítrico ou verde esmeralda. As bolsas, pequenas e elegantes, seguiam as cores dos vestidos. Nos pés, sandálias anabelas de tiras finas.

"Eu gosto da ideia de elegância e complexidade, mas tanto em uma roupa como em uma fragrância, a complexidade deve parecer simples", disse a estilista de origem venezuelana.

Renee Zelwegger, atriz que usa apenas criações de Herrera no tapete vermelho, estava na primeira fila, com um vestido drapeado cinza-claro.

A celebridade do momento, a rapper Nicki Minaj, com uma grande peruca platinada e um suéter de pompões multicoloridos, assistiu ao desfile junto a uma séria e concentrada Anna Wintour, lendária editora da Vogue americana e rainha indiscutível da moda mundial.

A marca chinesa VLOV, inspirada segundo seu estilista QingQing Wu na letra V, apresentou sua coleção de alta tecnologia com um ascetismo extremo, totalmente focada nas cores cinza e azul. Blazers de corte ajustado e modelagens diferentes, com zíperes e lapelas finas, vestem o homem da VLOV, que não tem medo de bermudas de alfaiataria, cabelos longos e preto dos pés à cabeça.

No final do dia, a americana Betsey Johnson se atreveu ao impensável. Em uma indústria onde a regra é que os rostos das modelos não expressem emoções para não atrapalhar a exibição das roupas, Betsey trouxe para a passarela de Nova York modelos sorridentes, com lábios de rosa chamativo, apresentando uma coleção sexy e desinibida. Aos 69 anos, a estilista foi à passarela e saudou o público com uma pirueta, de short curto e legging arrastão.

No domingo, quando a cidade e o resto dos Estados Unidos lembravam com sobriedade o 10º aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001, a Semana de Moda vivia seu frenético ritmo habitual, com mais de 30 desfiles diários.

Diane von Furstenberg reconheceu a solenidade da data entregando no final de seu desfile pequenas bandeiras dos Estados Unidos aos espectadores da primeira fila.

Entre os desfiles do dia, Donna Karan sobressaiu, com sua coleção apresentada em um depósito, com um taxi nova-iorquino como tela de fundo. Karan mostrou sua visão de mulheres elegantes e sofisticadas, todas com cabelos soltos e grandes chapéus, tanto para conjuntos clássicos para usar no dia a dia da cidade, em estampas pequenas de preto e branco, como para roupas de praia.

Custo Barcelona, a marca dos irmãos Cuso e David Dalmau, não decepcionou com suas criações peculiares para homens e mulheres com estampados contemporâneos, sandálias abotinadas altíssimas e tecidos sintéticos metálicos e com brilho.

A Semana de Moda na Big Apple acontece até quinta-feira, com previsão de cerca de 70 desfiles. Nova York é a primeira semana de moda e estilo da temporada, seguida por Londres, Milão e Paris.

Topo