Moda

Colegial rebelde inspira coleção dos estilistas Viktor & Rolf

Paris - As contradições de toda mulher personificada na figura da colegial rebelde inspirou a coleção primavera-verão 2014 dos estilistas Viktor & Rolf, apresentada neste sábado em Paris.

Dedicados à arte do prêt-à-porter conceitual, os holandeses recusaram esta dualidade ao longo de toda uma coleção destinada a um mercado jovem.

O típico blazer com suas sobreposições de tons e escudo no peito - detalhe também presente na coleção Dior -, saia cinza escocesa e outros itens que evocam o universo escolar foram destaque.

Mas, sob os acordes de um remix adaptado de "The Wall", do Pink Floyd, como música de fundo, as modelos exibiram sistematicamente um lado rebelde.

Expressado através de uma assimetria nos casacos e vestidos, ou por uma profusão de pontas de metal em golas e saias - tendência herdada do punk - o rebelde contrastou com restante formal.

"Queríamos misturar rigor e rebelião", explicou Rolf à AFP ao lado de seu colega inseparável, insistindo que a ideia era contrastar o uniforme com a personalidade. Um serve para ressaltar o outro, não eliminar.

Na tentativa de retratar essa "hipocrisia", os criadores realçaram seu controle formal minimalista em uma paleta quase limitada às quatro cores dominantes do uniforme escolar: azul marinho, branco, preto e cinza.

Única exceção a essa regra, as solas e saltos - altos, grossos, lisos ou pés descalços - são todos de um turquesa brilhante, um detalhe que chama a atenção, quase tanto como o vermelho de Louboutin.

Resta saber se a mulher de verdade decidirá seguir o conceito da famosa dupla de holandeses - que se vestem iguais - que, para preservar a sua estética exige disciplina da cabeça aos pés ao se vestir.

Seja qual for o resultado nas ruas, a coleção é destaca um design têxtil, com um rigor formal que já faz parte do DNA desses mestres em desviar um clássico.

O desfile aconteceu no "Espaço Efêmero": uma tenda instalada no jardim das Tulherias.

Ali se reuniram todos os dias durante a Semana de Moda os sempre coloridos "fashionistas", compradores e imprensa.

A outra coleção de destaque deste sábado é o de Jean Paul Gaultier, a quem os franceses ainda chamam de "enfant terrible" da moda, programada para o final do dia, antes das performances esperadas de Saint Laurent e Chanel, na segunda-feira e terça-feira respectivamente.

Topo