Moda

Semana de Moda de Milão exibe verão muito quente logo no 1º dia do evento

Vestidos esvoaçantes, tecidos leves, materiais brilhantes, uma explosão de cores: os estilistas apostam em um verão sob um sol escaldante em suas coleções de Primavera/Verão 2015, apresentadas no primeiro dia da Semana de Moda de Milão. A seguir, veja quais foram os destaques do primeiro dia:

Gucci: um verão luminoso
A diretora criativa Frida Giannini imagina que a mulher da Gucci quer "um verão livre", em que possa expressar seus desejos e personalidade sem remorsos. Seu look lembra a despreocupação dos anos 1970, com calças boca de sino, camisas de seda e jaquetas feitas com longo pelo de cabra.

Um armário "anos setenta" com peças de camurça --botas, saias, casacos sem manga e tops-- atualizadas, assim como o denim descolorido da época.

A combinação de gêneros é a pedida do dia, com vestidos sutis que levam um toque de excentricidade. As calças amplas e curtas de cintura baixa são usadas com grandes lapelas enfeitadas com botões dourados, dando às modelos um ar de pirata, acentuado pelo jogo de laços, fechando as golas, e os looks inspirados na marinha.

Botões dourados decoram, também, os ombros de uma camisa, enquanto os típicos bordados das jaquetas de estilo militar enfeitam a parte de cima de um vestido. Em outro look totalmente diferente, os vestidos de couro de macramê se alternam com conjuntos de seda suave com estampas exóticas e brilhantes de pedraria. O estilo Gucci domina tudo, desde o pequeno lenço ao redor do pescoço até as bolsas tiracolo.

Stella Jean: cores do Caribe
Assim como na Gucci, a coleção de Stella Jean joga com misturas explosivas e muito brilho de pedraria, lantejoulas e bordados tridimensionais inspirados, por exemplo, em folhas de palmeira. A estilista, de pai turinês e mãe haitiana, apresenta uma coleção deslumbrante e poderosa, com raízes em suas origens maternas.

Seus vestidos irradiam uma poderosa energia com cores vitaminadas, como laranja e turquesa, e decoração africana, feita à mão por mulheres de Burkina Fasso e do Mali. Stella conta uma história sobre o Haiti e o Caribe, como um relato a céu aberto com longas saias pareô, vestidos volumosos e casacos curtos em cetim bordado.

Na passarela milanesa, desfilam céus radiantes, densos bosques, pequenos peixes, mas, principalmente, mulheres com turbantes vestidas como as modelos, com looks multicoloridos.

Angelos Bratis: a arte da construção
O estilista de origem grega e residente em Milão confeccionou uma coleção de verão composta unicamente de vestidos de seda em uma delicada paleta de cinzas e bege, animada por toques de rosa e amarelo.

De aparência simples, os vestidos do estilista na casa dos trinta escondem, na realidade, sábias modelagens que jogam especialmente com cortes diagonais e assimetrias. O resultado: uma coleção falsamente sóbria de gosto muito refinado.

Byblos: inspiração gráfica
O próximo verão será quente também para Byblos, que propõe uma coleção muito feminina e esportiva. Saias e vestidos de babados brincam com o jogo de aberturas. A marca joga com os contrastes em branco e preto e modelagens assimétricas em tecido de trama aberta.

As típicas estampas étnicas dominam, também, a coleção, que se completa com conjuntos mais esportivos de jaquetas de couro e calças amplas no estilo jogging.

Topo