Moda

Oscar de la Renta acrescentava sobriedade, elegância e romantismo à moda

Zumapress
9.set.2014 - Oscar de la Renta faz aparição discreta em seu último desfile, realizado na Semana de Moda de Nova York imagem: Zumapress

De Nova York (Estados Unidos)

O estilista dominicano Oscar de la Renta, um ícone da moda que marcou gerações de americanos com seu estilo elegante e que foi admirado por primeiras-damas e estrelas de Hollywood, morreu aos 82 anos, nesta segunda-feira (20), após uma discreta luta contra o câncer. De la Renta foi diagnosticado com câncer em 2006 e, na semana passada, havia anunciado a nomeação de Peter Copping como diretor criativo de sua empresa. O estilista morreu em sua casa em Kent, Connecticut, perto de Nova York.

O designer era considerado um dos grandes estilistas do mundo, conhecido especialmente por suas confecções repletas de sobriedade e elegância, mas também com um tom romântico. Ele voltou a ganhar destaque recentemente, por ter desenhado o vestido de noiva da advogada Amal Alamuddin, que se casou em setembro com o ator George Clooney, em Veneza, na Itália.

Nascido na República Dominicana em 22 de julho de 1932, o estilista ficou famoso nos anos 60 ao vestir a então primeira-dama americana Jacqueline Kennedy. Ela não foi a única moradora da Casa Branca a usar suas criações. Betty Ford, Nancy Reagan, Hillary Clinton e Laura Bush também eram fãs do trabalho do dominicano. Também foi um dos estilistas mais adorados por atrizes como Sarah Jessica Parker, tanto na vida real como por sua personagem na série "Sex and the City".

Antes, várias estrelas usaram seus vestidos, de Audrey Hepburn e Elizabeth Taylor, no início da carreira, até celebridades mais recentes, como Madonna, Penélope Cruz, Sandra Bullock, Anne Hathaway e Shakira. A jornalista Barbara Walters e a rainha Noor da Jordânia, entre outras, também estavam entre suas fãs.

Um lugar no mundo
Filho de mãe dominicana e pai porto-riquenho, De la Renta se formou na Espanha, para onde foi enviado pela família aos 18 anos para estudar Artes e Desenho. No país, virou estilista ao trabalhar com Cristóbal Balenciaga, que sempre considerou sem mentor. Trabalhou para a Lanvin, em Paris, e se mudou para Nova York em 1963, depois de aceitar uma proposta de Elizabeth Arden.

Em 1965, quando tinha 33 anos, De la Renta iniciou a aventura de construir o próprio império no mundo da moda, algo impensável até então para um latino-americano. Ele criou uma empresa com seu nome e, depois das roupas, também somou rapidamente perfumes e acessórios.

O estilista conseguiu consolidar seu império e virou um dos gigantes da moda mundial, adicionando a suas linhas de produção uma de vestidos para noiva e outra de roupas para o lar.

Caloroso e simpático, Oscar de la Renta chegou a apresentar uma coleção na última Semana de Moda de Nova York, em setembro.

Há vários meses ele procurava alguém para sucedê-lo no comando de sua empresa, mas apenas na semana passada o estilista anunciou a nomeação de Copping, que deve assumir o cargo em 3 de novembro. Ao fazer o anúncio, De la Renta destacou que participaria ativamente na transição.

Luto no mundo da moda
Oscar de la Renta foi premiado por sua carreira pelo Conselho Estilistas dos Estados Unidos em 1990 e foi considerado o estilista do ano em 2000 e 2007. O anúncio de sua morte provocou uma comoção no mundo da moda.

"Sempre será o cavalheiro da moda", escreveu no Twitter a modelo Naomi Campbell. Laura Bush, em seu nome e no do marido e ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush, destacou, em um comunicado, sua "personalidade, generosidade", assim como a "simpatia e o talento maravilhoso".

A cantora de origem cubana Gloria Estefan ressaltou o exemplo que a vida do estilista representou para muitos latino-americanos, que se viram obrigados a emigrar para os Estados Unidos.

"Deixou suas marcas na indústria da moda universal; não há um canto deste planeta em que alguém não saiba quem é Oscar de la Renta", disse, em Santo Domingo, o estilista Sócrates Mckinney, organizador da Dominicana Moda, evento anual que começou justamente nesta segunda-feira.

"Mestre...tuas marcas ficam. Que descanse em paz #OscarDeLaRenta", afirmou o Ministério da Cultura do país, em sua conta oficial no Twitter.

Topo