Últimas de Estilo de vida

Alta-costura em Paris tem flores, viagens e noivas para 2015

De Paris (França)

As flores invadiram as passarelas da alta-costura em Paris para a temporada Verão 2015, que marcou também a volta do vestido de noiva e se inspirou no exotismo das viagens.

Primavera florida
Na Dior, as flores apareceram estampadas como em negativo sobre capas de plástico transparente ou bordadas em vestidos que lembram exatamente o conceito da "mulher-flor", imortalizado pelo lendário Christian Dior, fundador da marca.

No decorado jardim tropical da Chanel, as flores se abrem como em um livro tridimensional infantil. Fazem conjuntos multicoloridos nos ombros dos vestidos ou terminam na bainha de jaquetas amplas. Outras versões são tão curtas que deixam o umbigo à mostra, prontas para um verão tórrido.

Na versão Viktor & Rolf, as flores aparecem em babados em 'looks', combinados com chapéu de palha e chinelos. Valentino pôs flores em suas princesas renascentistas e na Armani Privê a natureza aparece em estampas de bambu.

Volta do vestido de noiva
Um clássico dos desfiles para fechar uma coleção com chave de ouro é o vestido de noiva branco. Mas nessa temporada, terminada nesta quinta-feira (29), a alta-costura foi além dessa antiga tradição que caiu um pouco em desuso.

Um vestido de noiva com cauda florida apareceu na passarela da americana Molly Blair e uma modelo de beleza futurista, quase extraterrestre, encerrou o desfile da Chanel vestida de noiva.

Jean Paul Gaultier transformou todo o seu desfile em uma divertida festa de casamento. É tradicional que a noiva se faça esperar e só apareça no final do desfile, mas neste caso foi o primeiro modelo da coleção, de branco... com bobes na cabeça. O vestido de noiva apareceu em outras interpretações ao longo do aplaudido desfile, onde segundo disse o próprio Gaultier em entrevista à AFP, "para todas as formas de casamento, todas as idades e a quantidade de vezes que quiserem".

O exotismo das viagens A coleção de Elie Saab foi uma homenagem à Beirute de sua infância, quando a capital libanesa era conhecida como "a Paris do Oriente Médio" antes de ser devastada por 15 anos de guerra civil.

Com estampas de tulipas, vestidos de seda leve como o ar e que brilharam com os mil flashes, a coleção se inspirou em uma foto da mãe do estilista.

Gustavo Lins também evocou em sua coleção formas envolventes e suaves do seu Brasil natal, 28 anos depois da sua chegada à Europa. Em um detalhe inesperado para a alta-costura, Lins incluiu vários modelos masculinos em um gênero tradicionalmente reservado à moda feminina. Valentino explorou o folclore russo com vestidos que demoraram em alguns casos 3.500 horas de trabalho. Não se pode esquecer que o exotismo na alta-costura também está em uma clientela de ricas mulheres russas, asiáticas ou do Oriente Médio que procuram as 'maisons' de Paris para comprar seus vestidos de festa.

Celebridades na primeira fila Com Donatella Versace nunca faltam famosas na primeira fila: em temporadas anteriores foram Lady Gaga e Jennifer Lopez e este ano, as americanas Goldie Hawn e sua filha Kate Hudson, próximas da cantora britânica Ellie Gouding.

Uma das musas de Raf Simons para a maison Dior, Natalie Portman, assistiu ao desfile com o marido, o coreógrafo Benjamin Millepied. No dia seguinte, foram ao desfile da Chanel no Grand Palais Kristen Stewart, Vanessa Paradis, Anna Mouglalis e Inés de la Fressange.

A diva burlesca Dita Von Teese aplaudiu Alexis Mabille, Elie Saab e Jean Paul Gaultier, para quem desfilou muitas vezes e que contou, entre outras convidadas, com Catherine Deneuve, Arielle Dombasle, Catherine Ringer, Amanda Lear e a ex-primeira-dama francesa Carla Bruni-Sarkozy, que também admirou os modelo da coleção Schiaparelli.

Topo