Moda

Ponchos e boêmia de Califórnia abrem a Semana de Moda de Nova York

Getty Images
Os ponchos de Nicholas K desfilaram no primeiro dia de evento imagem: Getty Images

Sob chuva, a Semana de Moda em Nova York começou nesta quinta-feira (11) com grandes ponchos de Nicholas K e o ambiente californiano de BCBG Max Azria. A programação é composta por cerca de 300 desfiles e eventos.

Nicholas K abriu a passarela na cidade norte-americana na Clarkson Square - um dos novos cenários do evento - com uma coleção elegante e ampla. Basicamente monocromática, modelos mostraram grandes ponchos, drapeados, vestidos longos, meias com sandálias e pulseiras douradas que cobriam todo o antebraço.

Enquanto isso, a BCBG Max Azria apresentou uma coleção boêmia inspirada na Califórnia, com alegres vestidos floridos leves, tops com estampas geométricas, jaquetas douradas usadas com shorts curtos e carteiras com franjas.

A Desigual também mostra nesta quinta-feira (10) sua coleção Verão 2016, junto com Tadashi Shoji, Tome, Ulla Johnson e Rodebjer.

Nova York, com suas estrelas, seu brilho e suas surpresas abre tradicionalmente a temporada de moda, seguida por Londres, Milão e Paris.

Entre os estilistas renomados estarão Alexander Wang, Jason Wu, Marc Jacobs, Tommy Hilfiger, Ralph Lauren, Calvin Klein, Diane Von Furstenberg, Vera Wang, Victoria Beckham e Carolina Herrera.

A aguardada Givenchy
Para esta edição, grande parte da atenção é centrada na maison francesa Givenchy, que apresenta sua coleção na sexta-feira (11) à noite em uma apresentação da artista sérvia Marina Abramovic, famosa por seus shows experimentais.

Em uma decisão pouco habitual, foram distribuídas mais de 800 entradas para o público e 200 para estudantes de moda, que poderão assistir ao desfile ao lado das celebridades e jornalistas especializados.

O evento, que será transmitido ao vivo em seis lugares em Manhattan, terá como tema a "celebração do amor", impulsionado pelo diretor artístico Riccardo Tisci, que festeja dez anos à frente das coleções feminina, masculina e de acessórios da Givenchy.

Entre as novidades deste ano, a semana de moda novaiorquina deixou as barulhentas tendas montadas no Lincoln Center, próximo ao Central Park, e se instalou no sul da cidade, na Moynihan Station, na rua 33, e na Clarkson Square, no Soho.

Alguns estilistas continuam a apresentar suas coleções em outras partes da cidade, como se tornou costume nos últimos anos.

O evento também mudou de nome após a saída de sua principal patrocinadora, a Mercedes-Benz, e passou de "Mercedes-Benz Fashion Week" para "New York Fashion Week: the shows".

O calendário, propriedade agora do CFDA (conselho americano de criadores de moda), é menos carregado desde a criação da semana de moda masculina: 308 desfiles, apresentações e festas privadas, enquanto foram 362 na última edição.

Modelos especiais
A número um mundial do tênis, Serena Williams, que busca conquistar o Grand Slam no Aberto dos Estados Unidos que termina nesse fim de semana, vai apresentar sua coleção na próxima terça-feira (15).

No domingo, FTL Moda e a fundação Christopher e Dana Reeve vão mostrar modelos com necessidades especiais.

"Espero que desfilando possa mudar a visão das pessoas sobre os deficientes", disse Madeline Stuart, uma australiana de 18 anos com síndrome de Down.

Rebekah Marine, uma americana de 28 anos com prótese no braço, também vai desfilar, mas pela segunda vez.

Não faltarão celebridades, lideradas por Kim Kardashian, grávida, e seu marido Kanye West, que pode lançar uma nova coleção de tênis em colaboração com a Adidas.

A grande dúvida é com certeza a presença de Caitlyn Jenner, o ex-atleta olímpica Bruce Jenner (padrasto de Kim Kardashian), que mostrou sua nova identidade feminina em junho, após viver 65 anos como homem.

Entre as ausências desta edição estarão Donna Karan, que deixou a direção artística da marca em julho, e Marc by Marc Jacobs, que anunciou em março a fusão de suas duas marcas.
 

Topo