Moda

Com ações em queda, Burberry busca novo mercado em desfile em Londres

Getty Images
Burberry misturou parte das coleções femininas e masculinas em prévia da mudança para próxima temporada imagem: Getty Images

A gigante da moda britânica Burberry trouxe brilho para a Semana de Moda de Londres nessa segunda-feira (22), quando Christopher Bailey levou sua audiência cheia de famosos para uma viagem ao bizarro. O diretor criativo da grife disse que a coleção, que chega aos poucos às lojas a partir de junho, foi inspirada por um "patchwork" de influências.

O desfile trouxe tendências recorrentes, como casacos de cashmere com galões e botões de bronze, lã mohair escovada e minivestidos com paetês costurados à mão, formando estampas florais e círculos psicodélicos.

"A coleção é tudo o que eu amo, um patchwork de coisas diferentes de irmãs Mitford, passando pelo militar e uma pitada de glam-rock", declarou Bailey após o desfile, referindo-se às seis irmãs que encantaram e escandalizaram a sociedade britânica nos anos 1930.

As ações da marca de luxo caíram 30%, atingidas pela queda da demanda na China. Assim, o estilista comentou que espera que as peças, feitas para ser usada o ano todo, vão chamar a atenção para outros mercados emergentes internacionais.

"Essa é uma coleção de roupas que será entregue às lojas em climas muito quentes e muito frios", afirmou. "Você tem casacos grandes e pesados de cashmere e você tem vestidos muito leves", completou.

As peças também podem ser compradas por encomenda. Já os itens do desfile da próxima Semana de Moda de Londres, em setembro, poderão ser adquiridos imediatamente e, nele, serão uma mistura entre as linhas masculina e feminina da marca. "Sinto que a indústria da moda tem de aceitar a mudança, e esse formato mostra que você pode evoluir e mudar", analisou Bailey.

Inspiração Indie
Entre os looks do desfile que teve como convidados a modelo Naomi Campbell e o ator do filme "X-Men" Nicholas Hoult, estavam saias plissadas, casacos verdes brilhantes com estampa de piton, jaquetas de couro com pele e vestidos de lamê.

A trilha sonora ficou por conta do cantor e compositor britânico Jake Bugg, e a cena indie inspirou os looks masculinos, em uma prévia da mistura de coleções. Bailey mostrou tops com golas de zíper exageradas e calças esportivas com blazeres e gravatas finas.

Enquanto a Burberry trouxe inovação para a indústria, o estilista escocês Christopher Kane repaginou a própria passarela com um desfile no cavernoso Turbine Hall, no Museu Tate de Londres.

Samantha Cameron, mulher do primeiro-ministro David Cameron, assistiu ao desfile na primeira fila.

O estilista fez uma coleção baseada na "noção de achados e perdidos". As peças incluíam casacos de tom camelo feitos de papelão ondulado, capas de chuva que lembram sacos plásticos e macacões de lã desfiada que quase se desfaziam, unidos por alfinetes de metal, além de vestidos que pendiam em tiras individuais desgastadas.

As cores eram terrosas, com vermelhos profundos e cinzas dominando a paleta, interrompidos brutamente por uma peça alaranjada fluorescente.

"A jornada não convencional e transformadora da garota Christopher Kane continua em uma coleção que celebra o achado e o perdido", escreveu o estilista sobre sua coleção. "Os detritos descartados do glamour foram acumulados e elevados a novos patamares", segundo o profissional que ganhou o "vestido do ano" na Inglaterra em 2013.

A Semana de Moda de Londres termina nesta terça-feira (23).

Topo