Moda

Homenagem a David Bowie marca terceiro dia de desfiles masculinos de Milão

Getty Images
Desfile da Emporio Armani começou com homenagem a David Bowie, morto na última segunda-feira (11) imagem: Getty Images

Após o sucesso da feira de moda masculina Pitti Immagine Uomo, que terminou na última sexta-feira (15), em Florença, é a cidade de Milão que agora conta com desfiles e eventos responsáveis por mostrar as tendências para os homens no Inverno 2017.   

Tendo começado também na sexta passada, o Milano Moda Uomo ou Milan Fashion Week, já recebeu as novas coleções de grandes grifes como Roberto Cavalli, Marni, Versace, Salvatore Ferragamo, Calvin Klein, Vivienne Westwood, Missoni e Prada, que trouxeram para as passarelas um homem moderno e atual, mas ligado a um passado atemporal ou histórico.   

Nesta segunda-feira (18), no entanto, foi o dia de outros grandes nomes do universo da moda mostrarem seus looks e peças.   

O primeiro deles foi a grife Emporio Armani, que decidiu iniciar seu desfile com uma homenagem ao cantor britânico David Bowie, que faleceu na manhã da última segunda (11), tocando o clássico "Space Oddity".   

A coleção trouxe modelos com tecidos tecnológicos, de funções térmicas e antitranspirantes, jeans e peças com corte à laser para "um homem seguro em fazer parte de 2016 sem extravagâncias e excessos, mas com atualizações aceitáveis", afirma o estilista Giorgio Armani.   

Com um "jogo muito importante com uma paleta de cores sofisticada", do cinza e do azul profundo ao verde-escuro intenso, e os tecidos tecnológicos que dão uma nova vida a estampas clássicas como bouclé e príncipe de Gales, Armani fez da coleção uma união da moda masculina com a feminina.   

Além disso, entre os looks da marca apareceram materiais refletores nas jaquetas, aplicações futuristas em pele em camisas e malhas e figuras geométricas em casacos cortados com a precisão do laser.   

Um pouco mais tarde, foi a vez da grife Gucci mostrar suas novidades. Nas passarelas, a palavra-chave do desfile foi memória, com looks que relembravam o passado e inspiravam um novo futuro. As peças pareciam sair de um baú, com casacos de brocado um pouco desfiados, pijamas já meio amassados e estampas nostálgicas, como das camisetas com personagem de Charlie Brown, ou das camisas de veludo com pavões de estilo chinês bordados.   

Usando peças já icônicas da marca e dando a elas um novo olhar, a Gucci do estilista Alessandro Michele também focou na questão do "genderless", que aborda a fluidez dos gêneros.   

Por fim, a Fendi mostrou uma coleção voltada a um homem doméstico, que une as funções de pai, marido e trabalhador com looks com roupões, pantufas e blusas e calças que lembram pijamas. Tons escuros com preto, cinza e marrom contrastaram em alguns modelos com amarelo, azul e vermelho vivos e com um rosa pastel.   

As principais estampas ficaram com o famoso e nunca fora de moda tartan, todos construídos em mohair (lã feita com pelo de cabra angorá), feltro, pele e veludo.   

Além dessas três grifes, outras marcas também desfilaram nas passarelas do Milan Fashion Week, que termina nesta terça-feira (19). Diesel Black Gold, Antonio Marras, Etro, Msgm, Canali, Ermanno Scervino, Marcelo Burlon County of Milan e Brioni mostraram suas coleções masculinas para o Inverno 2017. 

Topo