Moda

Depois de anúncio da Armani, conheça outras grifes que não usam pele animal

Getty Images
Na coleção de Inverno 2015, a Emporio Armani desfilou um cachecol de pele imagem: Getty Images

Na semana passada, o mundo da moda recebeu a notícia de que o grupo Armani abolirá o uso de pele natural nas suas peças. Anunciada na última terça-feira (22) pelo próprio Giorgio Armani, a decisão vai entrar em rigor a partir das próximas coleções Inverno 2017 europeias para a Giorgio Armani, Emporio Armani, AJ Armani Jeans, Armani Exchange e Armani Casa.   

O fato, que tomou grandes proporções tanto no universo fashion quando fora dele, trouxe de volta não só a discussão de se as marcas de vestimentas, de calçados, de acessórios e de produtos para a casa devem ser "fur free", mas também sobre quais devem ser os passos para que elas se tornem mais sustentáveis.  

Além disso, a notícia também relembrou que a grife italiana não é a primeira a fazer um anúncio do gênero. Outras grandes marcas, maisons ou não, já não usam mais peles e até outros materiais animais nas suas confecções. Exemplos disso são Calvin Klein, Vivienne Westwood, Ralph Lauren, Hugo Boss, Tommy Hilfiger, H&M, Topshop e Forever 21.   

A estilista britânica Stella McCartney também é uma grande ativista pelos direitos dos animais e pela conservação do meio ambiente e, por isso, explora casacos, cachecóis e acessórios sem pele, ou com pele falsa, e também sapatos com saltos de madeira sustentável. Além disso, a filha do ex-Beatle Paul McCartney também despreza veemente a exploração dos seus funcionários.

Topo