Moda

Sindicatos britânicos aprovam moção contra salto alto obrigatório

A Conferência anual do Congresso de Sindicatos da Grã-Bretanha aprovou uma moção contra o uso obrigatório de sapatos de salto alto por trabalhadoras do país.

Algumas empresas insistem que funcionárias, como vendedoras e aeromoças, usem salto alto como parte do uniforme, apesar das advertências de especialistas no cuidado com os pés de que esse calçado é prejudicial à saúde.

A moção, apresentada pela associação britânica de podólogos, diz que todas as empresas que promovem o uso de salto alto deveriam permitir que os sapatos fosse substituídos por outros mais confortáveis se for observado um risco alto de lesão.

Lorraine Jones, representante da associação, disse que a organização não está tentando proibir o salto alto.
"Eles são bons para dar mais glamour, mas não são bons para o local de trabalho", afirmou. "As mulheres deveriam ter a escolha de usar sapatos mais saudáveis, mais confortáveis."

Entretanto, alguns líderes sindicais se opuseram à medida que foi aprovada por considerá-la paternalista.
"A moção, bem intencionada, fará com que o movimento sindical seja retratado na imprensa como uma 'polícia estraga prazeres' da moda", disse Loraine Monk, uma representante do sindicato que reúne funcionários do ensino superior.

"Nós deveríamos fazer uma lista de todas as vestimentas impróprias no local de trabalho e não pegar uma coisa que é simbólica de um debate muito mais amplo sobre o papel dos gêneros, algo sobre o que muitas mulheres têm uma opinião tanto a favor quanto contra."
Topo