Moda

Globo de Ouro retorna cheio de glamour e sem um claro favorito

Fernando Mexía

Los Angeles (EUA), 11 jan (EFE).- Hollywood acertou os últimos detalhes para a festa do Globo de Ouro, que hoje retorna com seu glamour disposto a solucionar o duelo entre os grandes favoritos: "O Curioso Caso de Benjamin Button", "Frost/Nixon" e "Dúvida".

Considerada uma prévia do Oscar, a entrega do Globo de Ouro servirá para perceber as chances de filmes e atores para a principal premiação da indústria do cinema, que acontecerá no dia 22 de fevereiro.

A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), responsável por conceder estes prêmios, também buscará se ressarcir na 66ª edição do Globo de Ouro do que aconteceu em 2008, quando a greve de roteiristas obrigou a transformar a premiação em uma simples entrevista coletiva.

Livre de qualquer boicote, os organizadores recuperaram para este ano o formato habitual do evento, que será um jantar no salão principal do hotel Beverly Hilton de Los Angeles, onde serão entregues os prêmios e onde depois acontecerá uma festa.

Johnny Depp, Eva Longoria, Pierce Brosnan, Salma Hayek, Martin Scorsese, Jennifer López e Sting são parte das dezenas de celebridades responsáveis por apresentarem alguns dos prêmios e dar o toque de glamour ao evento.

Os analistas de moda nos EUA previram um tapete vermelho marcado pelas cores vivas, sem excessiva ostentação de jóias por deferência à situação econômica.

Estee Stanley, um dos assessores de imagem de atrizes como Penélope Cruz e Marisa Tomei, ambas indicadas na categoria de melhor atriz coadjuvante, afirmou que "as pessoas serão elegantes, mas não exageradas".

Entre os estilistas que não faltarão sobre esta passarela de Hollywood estarão nomes como Oscar de la Renta, Donna Karan e Elie Saab, em um ano no qual a crise aumentou a concorrência para vestir as divas do cinema.

A estilista Jeanne Yang, que estará por trás do vestido usado por Katie Holmes, afirmou que nos últimos dias tinha recebido cerca de 200 e-mails e seu telefone não tinha parado de tocar com oferecimentos de produtos e marcas.

"Isto não tinha acontecido nunca até agora", declarou Yang, consciente da grande publicidade que representa para os estilistas que as estrelas da grande tela usem suas criações, especialmente quando as vendas caíram nos últimos meses.

Terminado a inundação de flashes, a atenção se concentrará em saber os filmes vencedores da noite, uma batalha de prêmios para a qual partem como favoritas "O Curioso Caso de Benjamin Button", "Frost/Nixon" e "Dúvida", todos com cinco indicações.

Com uma nomeação a menos e dispostas a causar alguma surpresa aparecem "O Leitor", "Slumdog Millionaire" e "Vicky Cristina Barcelona", filme por meio do qual a espanhola Penélope Cruz brigará pela segunda vez a um Globo de Ouro.

Este mesmo filme, rodado na Espanha e que disputará o prêmio de melhor comédia, representou a quarta candidatura para Javier Bardem, e poderia reeditar o sucesso que alcançou o ano passado em "Onde os Fracos Não Têm Vez".

As boas interpretações de 2008 deixaram muito aberta a disputa pelas categorias principais de atuação.

Todos os indicados a melhor ator de drama - Sean Penn, Brad Pitt, Frank Langella, Leonardo DiCaprio e Mickey Rourke - têm chances de levar o Globo de Ouro, enquanto no caso feminino a disputa parece estar entre apenas três: Kate Winslet, Meryl Streep e Anne Hathaway.

Na TV, a série "Mad Men" poderia repetir o título de melhor drama e a atriz América Ferrera poderia alçar seu segundo Globo de Ouro por seu personagem em "Ugly Betty".
Topo