Moda

Figurino de Michelle na posse deve inspirar guarda-roupa das americanas

da Efe, em Washington

Horas antes da posse do democrata Barack Obama como presidente dos Estados Unidos, a imprensa dedica espaço para debater o figurino da futura primeira-dama, Michelle Obama.

A pergunta que parece tão inquietante quanto a solução para a crise econômica de Obama é quem será o estilista escolhido pela elegante Michelle neste dia histórico. Para os especialistas, a resposta não é apenas uma curiosidade, mas sim a inspiração da moda americana pelos próximos anos e uma inspiração para milhões de americanas.

Não são poucos os que comparam Michelle com Jackie Kennedy, uma primeira dama (1961 -1963) elegante e sofisticada que rapidamente deixou sua marca entre as mulheres da década de 60.

Michelle, uma advogada bem sucedida que desenvolveu sua carreira sem abandonar o marido e as duas filhas, tem estilo próprio e consegue misturar muito bem marcas de estilistas famosos com roupas de lojas de departamento.

Quando foi convidada para uma entrevista no programa "The View", foi com figurino da loja J.Crew que se esgotou no dia seguinte --além do bom gosto demonstrado em exibir figurino de preço razoável em tempos de grave crise econômica.

A escolha o modelito, que não passa longe do bom marketing do marido, foi elogiada também no desfile de 4 de julho. Com modelo GAP de preços acessíveis, ela mostrou às americanas que era uma mulher comum, assim como elas.

Os analistas apostam em modelos mais acessíveis marcarão o figurino de Michelle para o discurso da posse e os bailes de gala que avançam pela noite. Mas os desenhos escolhidos continuam um segredo guardado a sete chaves.

Seguirá assim o exemplo das primeiras-damas anteriores. Em 1993, Hillary Clinton optou por uma estilista de Little Rock, Arkansas. há oito anos, Laura Bush escolheu Michael Faircloth, de Dallas.

Já para o segundo mandato de seus maridos, quando o glamour da Casa Branca já estava impregnado em seus estilos, Hillary e Laura optaram por Oscar de la Renta, referência mundial em elegância.

Discrição

As apostas são que Michelle optará por Maria Pinto, estilista de Chicago especialista em modelos sóbrios e discretos.

Para Booth More, crítica de moda do jornal "Los Angeles Times", Pinto seria a opção mais segura, depois do vestido preto e vermelho do dia do discurso da vitória de Obama.

A diretora de moda da "W", Treena Lombardo, afirma que Michelle não precisa se cercar de grandes estilistas para se sentir bem com o figurino. Para ela, a futura primeira-dama deve usar o trabalho de um jovem estilista, para incentivar a indústria.

"Os Obamas têm uma consciência social em tudo que fazem. Querem ajudar os jovens estilistas", afirmou. "Como seu marido, Michelle trará mudança".
Topo