Moda

Quadro de Matisse da coleção de Saint Laurent é vendido por US$ 40 mi

Paris, 23 fev (EFE).- Uma obra do pintor francês Henri Matisse, vendida por 32 milhões de euros (US$ 40 milhões), se transformou hoje na estrela do primeiro leilão da coleção Yves Saint Laurent - Pierre Bergé.

Este foi o maior valor pago por um Matisse, e a soma dos lances registrados no primeiro dia da venda - 206 milhões de euros (US$ 261 milhões) - foi um recorde no leilão de uma coleção privada.

"Les coucous, tapis bleu et rose", uma natureza morta pintada em 1911, recebeu um lance maior que a escultura do romeno Constantin Brancusi, retrato "Madame L.R.", que foi a segunda peça que obteve o melhor preço, com 26 milhões de euros (US$ 33 milhões).

A obra de Pablo Picasso "Instruments de musique sur un guéridon", que só recebeu um lance de 21 milhões de euros (US$ 26,67 milhões), não teve comprador, por ficar abaixo do preço estimado pela casa de leilões Christie's, encarregada da venda da coleção.

O pintor francês foi o que mais arrecadou na sessão de hoje, com um total de 45,3 milhões de euros (US$ 57,2 milhões) obtidos pelos óleos "Nu au bord de la mer", vendido por 7,3 milhões de euros (US$ 9,269 milhões) sem impostos, e "Le danceur", que foi colocado por 6 milhões de euro (US$ 7,6 milhões).

Mondrian, com "Composition avec bleu, rouge, jaune et noir", foi outro dos preferidos no leilão e alcançou 19,2 milhões (US$ 24,378 milhões), quase o dobro do que a Christie's estimava que podia conseguir.

A venda de arte moderna de hoje foi a primeira das que, durante três dias, colocarão no mercado mais de 730 obras que pertenceram ao estilista e a seu companheiro Bergé, que dedicará a arrecadação à luta contra a aids.
Topo