Moda

Gucci surpreende Semana de Moda de Milão com volta dos anos 70 para homens

Roma, 17 jan (EFE).- Na contramão do visto até agora na Semana da Moda Masculina de Milão, a italiana Gucci aposta pela volta dos anos 70 para a temporada outono-inverno 2011, com direito a calça boca de sino.


A casa de moda italiana, que não dá uma alfinetada sem o aval da diretora criativa Frida Giannini, chamou a atenção nesta segunda-feira durante o terceiro e penúltimo dia de muitos nomes conhecidos, entre eles Versace e a sempre ousada coleção da linha jovem de Dolce & Gabbana, D&G.

Preto, marrom, ocres e cinza estão na cartela de cores dos ternos e trajes para protagonizar a coleção de Gucci, na qual o homem, segundo Giannini, deve recuperar a inspiração de "um dandy que pisa com muita elegância e bom gosto pelos aeroportos do mundo".

"Queria encontrar homens vestidos assim. Infelizmente hoje faltam ícones de elegância que permaneçam em nossas mentes como os dos anos 70", afirmou nesta segunda-feira a própria Giannini, no primeiro desfile do ano na qual Gucci celebra seu 90º aniversário.

O lineup mostrou jaquetões longos e grandes bolsas de viagem de pele, com uma estética que lembra o filme italiano "Vallanzasca - Gli angeli del male", um dos últimos trabalhos da atriz espanhola Paz Vega, apresentado no último Festival de Veneza e que versa sobre a vida de um perigoso bandido milanês dos anos 60 e 70.

Nos pés, o homem Gucci leva sapatos mocassins e botas, parcialmente escondidos pelas amplas barras das calças que vão na contramão das calças curtas, vistas nas passarelas das últimas temporadas.

Enquanto isso, a Versace apresentou nesta segunda-feira em Milão uma nova porção de elegância e sobriedade com o preto.

O homem do próximo outono-inverno para Versace poderá abusar de jaquetas que vão além da cintura, assim como longos blazers em tons escuros.

Por sua parte, Dolce & Gabbana, que já desfilaram no sábado passado, voltaram à passarela com sua coleção D&G, com uma aposta pelas cores cítricas, pela juventude e pelo contraste de tons fortes e neutros, sempre com uma proposta esportiva.

Enquanto a Moschino trouxe sua inspiração do rubgy para sua coleção, a belga Dirk Bikkembergs propôs roupas confortáveis com traços da canoagem.

O britânico John Richmond, por sua parte, preferiu o movimento "post punk" para sua passarela, inspirada pelos músicos David Bowie, Ian Curtis e Marilyn Manson, e assim o demonstrou sobre uma passarela de Milão que amanhã se despede da temporada com os desfiles de Giorgio Armani, Dsquared2, entre outros.

Topo